Maurício Gieseler

Maurício Gieseler

Advogado em Brasília (DF), este blog é focado nas questões que envolvem o Exame Nacional da OAB, divulgando informações e matérias atualizadas, além de editoriais, artigos de opinião e manifestações que dizem respeito ao tema. Colocamos, também, a disposição de nossos visitantes provas, gabaritos, dicas, análises críticas, sugestões e orientações para quem pretende enfrentar o certame. Tudo sobre o Exame de Ordem você encontra aqui.

Fale com ele
- Categoria: Cursos do Portal

Seguro CERS: sua inscrição na 2ª fase convertida em bônus para curso de 1ª fase caso a OAB não anule nenhuma questão

2

Diante da possibilidade da FGV não anular nenhuma questão da 1ª fase do XV Exame de Ordem, resolvemos adotar a seguinte medida para AUXILIAR os candidatos que estão com dúvidas quanto a preparação, ou não, para a 2ª fase do XV Exame:

Os examinados reprovados podem se inscrever em qualquer um dos nossos cursos de 2ª fase e, após o resultado final da 1ª fase, caso a banca não anule questões ou as questões anuladas não sejam aproveitadas, poderão converter o dinheiro investido para o curso completo de 1ª fase visando XVI Exame de Ordem.

Ou seja: vocês se inscrevem normalmente no curso de 2ª fase. Se As anulações não forem aproveitadas e vocês reprovarem, poderão utilizar o dinheiro gasto no curso de 2ª fase no curso de 1ª, pagando apenas a diferença.

Confiram as regras:

Seguro CERS – Exame de Ordem

Na compra do curso para 2ª Fase do XIV Exame de Ordem você garante o mesmo valor em bônus para transferência para o Curso Online para OAB primeira fase XVI Exame de Ordem caso não seja aprovado após a divulgação do resultado (previsto para 29/08/2014).

Para solicitar a transferência entre em contato pelo email seguro@cers.com.br, entre os dias 16/12/2014 e 19/12/2014. O cadastro será comparado com a lista de aprovados e a migração será feita num prazo de até 48h.

Transferência exclusiva para o Curso Online para OAB primeira fase XVI Exame de Ordem mediante pagamento do investimento faltante.

Após o dia 19/12/2014 o aluno perde automaticamente o direito ao bônus.

Trata-se de uma medida para os candidatos não perderem o investimento no curso de 2ª fase, podendo convertê-lo em bônus para o nosso curso completo de 1ª fase.

- Categoria: Como se preparar para a prova

As regras específicas (e basilares) de treinamento para a 2ª fase do Exame de Ordem

Estamos a exatos 54 dias para a prova da 2ª fase do XV Exame de Ordem.

Isso significa que os candidatos têm um bom período de estudos para se prepararem. É possível esgotar o conteúdo a ser estudado e treinar bastante.

Mas não é bom marcar muita bobeira, pois ficar esperando por uma semana ou duas certamente vai comprometer a qualidade dos estudos. Começar o quanto antes é o ideal!

Uma regra básica: quanto mais tempo para estudar, maior a chance de esgotar todo o conteúdo, revisá-lo e simular a resolução das peças.

E, neste momento em que os estudos estão para começar, é preciso abordar as chamadas “regras de treinamento” para a 2ª fase. Trata-se tão somente de delimitar bem as práticas a serem adotadas durante a preparação para evitar percalços e problemas na hora da prova por se adotar procedimentos estranhos à natureza da 2ª fase.

Trata-se de abordar questões básicas, elementares, para o aproveitamento com qualidade dos estudos.

E o que seria aproveitar os estudos com qualidade? Simples: estudando muito e estudando com método. Dizer para estudar muito é clichê; com método, nem tanto.

Como fazer então?

Em primeiro lugar escolham um curso preparatório bom. Existem vários bons cursos no mercado e vocês são livres para escolher o que julgarem mais adequado. O melhor filtro é buscar referências com amigos que acabaram de ser aprovados, ou fazer pesquisas nas redes sociais.

Eu indico, obviamente, os cursos do Portal. Sugiro a leitura das entrevistas que fizemos com os nossos professores:

5 FORTÍSSIMAS razões para você fazer a 2ª fase da OAB no Portal Exame de Ordem

Escolhendo ou não o Portal, saibam que é fundamental sim fazer um curso para a 2ª fase!! A prova tem muitas especificidades e em um curso de qualidade vocês vão encontrar o instrumental teórico adequado para enfrentar a prova com todas as suas características.

Esse é um ponto.

O outro está no treino, na forma de praticar as peças e o raciocínio para a prova subjetiva. Agora é hora de gastar a caneta.

Treinar de forma errada pode cobrar um altíssimo tributo do candidato. E por quê?

Porque o treinamento, antes de tudo, tem de simular as condições reais na hora da prova, e tudo aquilo que for estranho ao este ambiente em específico deverá ser afastado pelo candidato EXATAMENTE para evitar uma assimilação equivocada de técnicas ou hábitos.

Mas quais são as regras de treinamento, e qual a importância de cada uma? Vamos conferir agora!

Regra 1 – A redação é sempre manual

Como deve ser a redação das peças práticas? Em um computador? Digitando?

De forma alguma!!!!

Por incrível que pareça existem candidatos que treinam suas peças em um computador. Isso não existe, e não existe sob NENHUM pretexto!

6

Primeiro porque escrever um parágrafo, por exemplo, usando um teclado, exige muito menos tempo comparando com o ato de escrever manualmente o mesmo texto. Aliás, a diferença do tempo usado é bastante significativa. Usar um teclado para treinar vai gerar uma grave distorção da percepção do tempo e mesmo da fluidez do raciocínio.

E o tempo, meus amigos, é um elemento CHAVE durante a prova. Se o candidato treina no computador e, na hora da prova vai manuscrever, simplesmente vai perder o timing e vai quebrar a cara.

Não vai conseguir administrar o tempo e vai, inevitavelmente, reprovar! E isso não é um terrorzinho barato não: vai reprovar mesmo!

Treinamento para a 2ª fase do Exame de Ordem é MANUAL, usando a caneta e o papel!

Ponto, sem discussões!

Depois temos de considerar que nós, de um modo geral, estamos meio desacostumados a usar o papel e a caneta. Todos nós usamos o computador e perdemos um pouco a prática de redigir manualmente um texto. Normal…

Neste período de preparação o candidato se prepara para a maratona de 5 horas de prova e adapta sua redação ao melhor padrão possível em razão da prova.

Ou seja, o candidato precisa não só se condicionar a escrever muito como fazê-lo com desenvoltura, e isso só pode ser obtido com muito treino.

Regra 2 – Usem sempre a folha da prova

Vamos dar uma olhadinha na imagem abaixo:

013

Ignorem o texto. Ele é irrelevante neste momento. O importante mesmo é observar o enquadramento do espaço.

É essa estruturação de linhas com as quais vocês trabalharão na hora da prova. Estão treinando suas redações em um caderno, folhas em branco ou sei-lá onde mais?

Tá errado!

Vocês têm de treinar nas folhas da FGV, no espaço da FGV e com o número de folhas da FGV.

A estrutura é esta – Folhas de prova do Exame de Ordem

Acostumem-se exatamente com a estrutura de folha e linhas da FGV. No dia da prova o espaço será este. Nada melhor então do que se acostumar com esse tipo de folha. Gastem a tinta da impressora sem dó e treinem.

Regra 3 – Usem incessantemente o vade mecum

Já compraram o vade mecum? Sabem que terão de turbiná-lo? Sabem da necessidade de dominar o índice remissivo? Compreendem a necessidade de achar qualquer informação no código?

7

A hora de iniciar esse preparo é agora, e tudo dentro da lógica da FGV. Durante a prova o manuseio do código tem de ser natural, fluído, fácil, com todas as remissões bem memorizadas e o uso do índice devidamente treinado.

Sugestão de vade mecuns novos, atualizados para esta edição do Exame?

Os códigos CERTOS para a 2ª fase do XV Exame de Ordem!

Regra 4 – Estabeleçam uma rotina de redação

Dizem que a prática leva à perfeição, e, no caso de quem vai fazer a prova, a perfeição seria a nota 10. Mas tirar um 6 bem redondinho também resolve a vida e assegura a carteira.

Em suma: qualquer coisa entre o 10 e 0 6 está valendo. Só não pode ser 5,999999…..

E para isto é preciso treinar e treinar de forma sistemática, com uma rotina bem definida para poder elaborar o máximo de peças possíveis.

E, dentro deste processo, errar o que tiver de errar para compreender as próprias deficiências e saná-las adequadamente.

Portanto, é muito importante resolver o maior número de peças e exercícios durante o processo de preparação, limando os defeitos e apreendendo a sistemática da estruturação das peças e mesmo a lógica da redação.

Chova ou faça sol, treinar peças e a redação a partir de agora tornou-se uma religião para cada candidato aprovado.

Agora vamos tratar dos pequenos detalhes, de dúvidas comuns entre os candidatos, simples de serem explicadas:

1. Tem que ser letra de forma?

Pode tanto ser letra de forma como cursiva. O candidato escolhe. A FGV não pune um tipo de letra em específico.

2. Posso usar letra de forma em algumas partes da peça e letra cursiva em outras? Por exemplo: no endereçamento uso letra de forma  e nos fatos letra cursiva.

Não me lembro de ter visto dois tipos de letra em uma única petição. Em princípio, não vejo nenhum problema, mas não posso afirmar com certeza de que isso não gerará problemas para o candidato. Na dúvida, sugiro que se use apenas um tipo de letra.

De toda forma, não existem relatos de candidatos prejudicados por usar dois tipos diferentes de letra.

3. Se errar a palavra, como proceder?

Única e exclusivamente um risco sobre a parte errada. Pode ser só uma palavra como também pode ser uma folha inteira.

E isso é importante! Não são raros os casos de candidatos preocupados com a forma de se apagar um trecho escrito de forma errada, e isso já rendeu sim problemas na correção. A regra do edital indica apenas um simples risco sobre a parte do texto errada, e o candidato tem de seguir o padrão.

Já vi casos de candidatos que riscaram uma folha inteira e não sofreram penalidades.

4. Tem que pular linhas do endereçamento para qualificação? Se sim, quantas?

Já vi peças nota 5 que não pularam linha nenhuma, e peças nota 5 que pularam algumas linhas. Ou seja: depende do estilo do candidato.

Não há uma regra de linhas, o examinando tem de usar o bom senso neste momento e, acima de tudo, ter a noção se sobrará espaço para concluir sua peça.

No mais, depende apenas de uma escolha.

5. Tem espaçamento antes do parágrafo?

Não é obrigado, mas é recomendável.

E o é por conta de uma questão de clareza: o examinado deve desejar, acima de tudo, que o corretor de sua prova entenda tudo de forma clara. Isso é importante. Se for possível facilitar a visualização do início do parágrafo, melhor.

6. Posso colocar depois do endereçamento o nome da peça?

O ideal em uma peça é colocar o nome das partes com os dados de identificação (sem inventar informações!) e depois, indicando o correto e completo fundamento legal, o nome da peça.

Essa é uma parte FUNDAMENTAL na prova!

Entenderam? Fundamental!!!

Qualifiquem as partes e depois digam o nome da peça, por extenso, seguido pelo seu fundamento legal. Se não fizerem isso correm um sério risco de tomar zero!

É um dos momentos mais cruciais da prova. Os corretores da prova não vão catar essa informação no corpo da petição. Se não encontrarem ali, no início, o nome da peça e seu fundamento, o candidato terá um sério problema. Errem tudo, menos isso.

Há uma regra severa no edital e os candidatos precisam declinar o nome da peça:

02

O nome é o CORRETO e COMPLETO fundamento legal, que justificaria a escolha do nome.

É bem verdade que na prova de Direito Civil passada a FGV aceitou várias nomenclaturas diferentes na peça, mas por conta de problemas na redação no enunciado, que permitia uma série de soluções processuais distintas. Mas vamos considerar isso como exceção e não regra.

Façam isso do jeitinho que vocês vão aprender em seus cursos, do jeito mais formal possível, sem inventar.

Isso é importante!

7. Nas citações dos artigos qual o espaçamento?

Não é necessário, em princípio, fazer um espaçamento diferenciado para a transcrição de artigos. Fica como sugestão o espaçamento que seja o dobro do recuo de texto usado para iniciar um parágrafo.

E aqui faço uma observação também importante.

Eu não acho uma boa ideia transcrever literalmente o teor de um dispositivo legal ou Súmula. Na análise do espelho, o corretor vai procurar se o candidato indicou o dispositivo correto, e não se o transcreveu. Como técnica de redação, é melhor explicar (o fundamento jurídico) a razão da aplicação de terminada súmula ou dispositivo legal, declinando-o na peça. Sua redação, na íntegra, é desnecessária como também te tomará tempo e ocupará um espaço na peça.

Já analisei centenas e centenas de provas e dou essa dica com a maior tranquilidade.

O que vale é o raciocínio lógico, fazendo o entrelaçamento entre o fato e o direito e a indicação correta das leis, artigos ou súmulas correlatas.

- Categoria: Redes sociais

Grupos de estudos para a 2ª fase da OAB e o perfil dos professores no facebook!

foto (5)

Quer colher a opinião de outros examinandos sobre a 2ª fase?

Tem interesse em ficar por dentro de tudo que está acontecendo no Exame?

Quer dicas de preparação dos professores do Portal e de outros candidatos?

Precisa desabafar?

Eu tenho os lugares certos para você!!!

Notícias do Portal e do Blog Exame de Ordem:

Facebook – Portal Exame de Ordem

Facebook – Maurício Gieseler

Grupos de estudos para a 2ª fase:

Tributário

OAB 2ª Fase 100% Tributário – com Prof.Josiane Minardi

Trabalho

Rumo à OAB em Trabalho – Prof. Aryanna Manfredini, Renato Saraiva e Rafael Tonassi

Civil

Grupo de Estudos para a 2ª fase de Direito Civil

Empresarial

Grupos de Estudos – 2ª fase de Direito Empresarial

Constitucional

Grupo de Alunos da Professora Flávia Bahia

Administrativo

OAB ADM Segunda Fase – Matheus Carvalho

Penal

Grupo de Processo Penal

Páginas dos professores no facebook:

Trabalho:

Aryanna Manfredini

Rafael Tonassi

Renato Saraiva

Penal

Geovane Moraes

Ana Cristina

Administrativo

Matheus Carvalho

Constitucional

Flávia Bahia

Tributário

Josiane Minardi

Civil

Cristiano Sobral

Roberto Figueiredo

Luciano Figueiredo

Sabrina Dourado

André Mota

Empresarial

Francisco Penante

O Exame de Ordem acontece aqui! E no face também!

- Categoria: Recursos

XV Exame de Ordem: recurso para a questão do testamento de Matheus

A equipe de Civil do Portal Exame de Ordem elaborou este modelo de recurso para a questão do testamento de Matheus.

Confiram abaixo:

3

O gabarito da FGV considerou como correta a alínea “a”, com base no instituto do rompimento do testamento (art. 1.973 do CC). Entrementes, compulsando as outras assertivas, percebe-se que é igualmente verdadeira a letra “c”.

Explica-se. Em sendo o testamento um negócio jurídico, o mesmo sempre deverá ser conservado, dentro dos limites da legalidade, visando a manutenção da vontade das partes (art. 112 do CC).

Nessa esteira, acaso a manifestação de vontade ultrapasse o montante da cota disponível, é possível a sua redução (art. 1967 e 184 do CC), a adequando aos limites da legítima.

Neste sentido, Alberto terá direito à legítima, cabendo a Marcos e Lucas a divisão da quota disponível. Haverá redução da disposição de vontade e adequação à legítima, o que valida a assertiva “c”.

Logo, a questão deverá ser reconsiderada pela Banca, no intuito de também validar a resposta “c” como correta.

- Categoria: Gabarito Oficial

XV Exame de Ordem: FGV retifica o gabarito da prova verde (questão 27)

Ainda ontem alertamos sobre a falha no gabarito da prova verde, questão 27, que discrepava das demais provas:

Atenção: gabarito oficial da OAB (Prova Verde, questão 27) está errado!

Há pouco a FGV corrigiu o gabarito, passando-o da letra “B” para a letra “D”:

3

A marcação em vermelho foi feita pela própria FGV.

Confiram no site da FGV a mudança: Gabarito Oficial

Devo lembrar de que não se trata de uma mudança de gabarito, tão somente da correção de um erro material, pois as demais provas já marcavam a alternativa D como correta.

- Categoria: Recursos

XV Exame de Ordem: recurso para a questão do advogado Antônio

O professor Paulo Machado elaborou um modelo de argumentação para a questão do advogado Antônio. Confiram:

1

A banca apresentou como gabarito a alternativa que diz “o advogado pode se opor à norma expressa, aduzindo a sua inconstitucionalidade.

Assim o fez a ilustre banca, provavelmente, em razão do disposto no art. 34, VI, do EAOAB, que diz constituir infração disciplinar advogar contra literal disposição de lei, presumindo-se a boa-fé quando fundamentado na inconstitucionalidade, na injustiça da lei ou em pronunciamento judicial anterior.

Acontece que a alternativa que diz: “o advogado deve indicar ao cliente a desistência da ação, por não portar solução para o problema” também pode ser considerada como correta, pois o enunciado da questão não mencionou se o advogado tinha (ou não) argumentos para aduzir a inconstitucionalidade. Veja que o art. 2º, parágrafo único, VI, do Código de Ética e Disciplina determina que o advogado deve orientar o cliente a não ingressar em aventura judicial.

Dessa forma, o advogado somente pode advogar contra a lei, quando tiver fundamentos para alegar a tese de inconstitucionalidade. Caso contrário, deve orientar o cliente a não ingressar com a ação.

Diante do exposto, por falta de tal informação no enunciado (se o advogado possuía ou não argumentos para a alegação de inconstitucionalidade), a questão admite duas respostas, o que enseja a sua anulação.

- Categoria: Recursos

XV Exame de Ordem: recurso para a questão do TRT/GO

Os professore Renato Saraiva, Aryana Manfredini e Rafael Tonassi elaboraram as razões de recurso para a questão do TRT/GO.

Confiram abaixo:

1

“Como imaginávamos, a banca divulgou que a resposta correta da questão acima era a letra “B” – Recurso Ordinário (art. 799, § 2º, CLT e Súmula 214, c, TST), entretanto, se a reclamação foi proposta em GO e lá foi apresentada a exceção de incompetência, ao ACOLHÊ-LA, o juiz remeteria os autos para o TRT de Minas Gerais. Entretanto, na questão constou que os autos foram remetidos para TRT/GO. Ora, não poderia o juiz acolher a exceção de incompetência apresentada em Goiânia e remeter os autos para o TRT/GO.

Os autos deveriam ter sido remetidos para o TRT/MG.

Neste caso, a questão deverá ser anulada.”

Alguns erros são insuperáveis. E o são porque o vício é tão grande que ultrapassa a problemática de posicionamentos jurídicos, teses ou divergências doutrinárias ou jurisprudenciais.

É aquele erro que impede a compreensão correta da pergunta, levando o candidato inexoravelmente ao erro.

É o caso dos erros materiais.

Manifesto e escancarado o vício da questão acima.

Tão manifesto que ele pode ser inclusive revisto pela via judicial. O candidato que errou essa questão tem altíssima probabilidade de ser bem sucedido em um mandado de segurança, pois na hipótese de erro material o Judiciário pode sim interferir nos critérios de correção da banca.

Infelizmente a banca, em duas oportunidades, não anulou questões eivadas também com erros materiais. Vamos ver se desta vez resolvam anular tal falha.

- Categoria: Inscrição

Inscrições para a repescagem no XV Exame de Ordem terão início amanhã!

3

Quem está esperando pela inscrições para a repescagem deve ficar ligado! Amanhã, terça-feira, teremos o início das inscrições para os candidatos da repescagem, ou seja, quem reprovou na 2ª fase do XIV Exame de Ordem.

Vamos analisar novamente o edital da repescagem em seus pontos mais importantes.

XV Exame: Edital da repescagem

1 – Período e valor de inscrição

7

Mais uma vez: as inscrições começam amanhã! 

2 – Quem ainda está na faculdade

Quem ainda está na faculdade e for se valer da repescagem terá de comprovar que estava matriculado corretamente em conformidade com o edital do XIV Exame:

1.1.3. Os estudantes que se utilizarem do reaproveitamento e que forem aprovados no XV Exame de Ordem Unificado, não tendo ainda concluído o curso de graduação em Direito, poderão retirar seus certificados de aprovação caso comprovem que, na data de inscrição para o XIV Exame, já estavam matriculados nos dois últimos semestres ou no último ano do curso.

3 – Quem perdeu a prova subjetiva XIV Exame NÃO poderá fazer a repescagem

A OAB não vai aceitar a inscrição dos candidatos que perderam a prova do XIV. Ou seja, fica a regra que para ter direito à repescagem é preciso ter reprovado na 2ª fase. A ausência gera a eliminação:

1.1.5. O reaproveitamento descrito no item 1.1.1 será vedado aos examinandos ausentes ou eliminados na 2ª fase do XIV Exame de Ordem, de acordo com o disposto no item 2.8 do edital de abertura do XV Exame de Ordem.

4 – disciplina da 2ª fase pode ser alterada

1.1.5. O reaproveitamento descrito no item 1.1.1 será vedado aos examinandos ausentes ou eliminados na 2ª fase do XIV Exame de Ordem, de acordo com o disposto no item 2.8 do edital de abertura do XV Exame de Ordem.

Não só o local de prova pode ser alterado como a disciplina da 2ª fase também.

Aqui recomendo fortemente a leitura do post abaixo:

Como fazer a melhor escolha da disciplina de 2ª fase no Exame de Ordem

5 – Quem se inscreveu na 1ª fase do XV Exame de Ordem pode aproveitar a repescagem

1.1.6. O examinando que porventura tenha se inscrito equivocadamente no XV Exame de Ordem Unificado, por meio de pagamento ou isenção da taxa, no prazo previsto no item 2.1.2 do respectivo Edital normatizador, de 29 de setembro de 2014, ainda assim poderá realizar a inscrição para o reaproveitamento, devendo para tanto cumprir os procedimentos necessários (inscrição na forma e período previstos neste edital, bem como o pagamento da taxa referente ao reaproveitamento).

Confiram agora o cronograma geral de eventos da repescagem:

6

Então é o seguinte: quando abrir o prazo de inscrição ESPECIAL para a repescagem que os candidatos reprovados na 2ª fase do XIV Exame de Ordem entram no jogo do XV. Até lá, devem apenas se preocupar exclusivamente com os estudos.

Lembrando que a prova subjetiva será a mesma para todos, tanto o pessoal da repescagem como para os aprovados na 1ª fase do XV.

- Categoria: Doutrina para a prova

Os códigos CERTOS para a 2ª fase do XV Exame de Ordem!

A Editora Armador possui os mais ATUALIZADOS códigos para a 2ª fase do XV Exame de Ordem.

Esses vade mecuns foram pensados para os candidatos que irão fazer a próxima prova subjetiva e estão INTEGRALMENTE em conformidade com os requisitos do edital do XV Exame de Ordem!

Reparem nestes detalhes:

1 – São os mais atualizados do mercado (o edital do XV foi publicado no dia 29/09)

2 – Todos têm a legislação completa para a 2ª fase;

3 – Foram elaborados pelos professores do Portal em cada disciplina, com as remissões mais importantes em cada código.

Entrem no site da Editora Armador e confiram tudo:

www.armador.com.br

A 1ª edição do vade mecum do professor Matheus Carvalho:

mockup_vade-mecum-administrativo

A 3ª edição do vade dos professores Geovane Moraes e Ana Cristina:

MINIATURA_vade-mecum-penal

A 3ª edição do vade da professora Flavia Bahia:

mockup_vade-mecum-constitucional-humanos-3edicao

A 1ª edição do super completo vade da professora Josiane Minardi:

miniatura_vade-mecum-tributario

O vade de Civil dos professores Roberto, Luciano, André e Sabrina:

vade-mecum-civil_miniatura_A

 

A CLT dos professores Renato, Aryanna e Tonassi:

CLT__miniatura_A

O vade mecum Armador

 3

Tudo isso e muito mais no site da Armador.

- Categoria: Cursos do Portal

5 FORTÍSSIMAS razões para você fazer a 2ª fase da OAB no Portal Exame de Ordem

foto (2)

Por que se preparar para a 2ª fase da OAB com o Portal Exame de Ordem?

Simplesmente porque oferecemos uma preparação efetivamente diferenciada, com aquele que é considerado pelos examinandos como o melhor corpo de professores da atualidade para o Exame de Ordem. Como vocês sabem, nossos professores são REFERÊNCIAS em suas respectivas disciplinas, naquele que é o curso jurídico que mais cresce no Brasil!

IMPORTANTE: A primeira aula de TODOS os cursos de 2ª fase do IX Exame de Ordem serão GRATUITAS! É isso mesmo! Vocês podem ver gratuitamente a primeira aula de cada curso para fazer uma avaliação pessoal do respectivo professor.

Façam o cadastro primeiro, é fácil e rápido:

Cadastro CERS

Depois basta se cadastrar na 1ª aula gratuita:

2ª fase em todas as disciplinas - 1ª aula grátis!

Além disso, o aluno pode fazer seu próprio horário de estudo e ver cada aula até 2 vezes no momento que achar mais adequado.

E toda as nossas aulas são ONLINE:

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito do Trabalho, com Renato Saraiva, Aryanna Manfredini e Rafael Tonassi

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Penal, com Geovane Moraes e Ana Cristina Mendonça

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Administrativo, com Matheus Carvalho

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Civil, com a equipe coordenada por Cristiano Sobral

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Constitucional, com Flávia Bahia

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Tributário, com Josiane Minardi

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Empresarial, com Francisco Penante

E por que fazer a 2ª fase com o Portal? Vou elencar, por ordem de importância, as razões para isto:

1 – O diferencial REAL 

O CERS/Portal Exame de Ordem é, sem sombra de dúvida, o curso que mais cresceu no Brasil no últimos 5 anos. Aliás, ele nasceu há 5 anos atrás. Do nada transformou-se em referência e um dos grandes cursos do país.

Sabem o porquê? Tudo em razão de uma equipe EXCEPCIONAL de professores!

Acima de qualquer outra virtude, qualidades, serviços ou facilidades, o DIFERENCIAL REAL para vocês é o talento, a capacidade do professor em se fazer entender e em passar EXATAMENTE o que vocês precisam saber para APRENDEREM de forma CONSISTENTE o conteúdo exigido na 2ª fase.

E isso não é uma simples retórica marqueteira!! Esse é um feedback real que colhemos em todos os lugares, em especial nas redes sociais, sobre os professores dos nosso cursos. Não precisam acreditar nessas linhas: constatem pessoalmente em uma pesquisa nos mais variados grupos de estudos no facebook ou em contato com colegas de faculdade.

Nós nos transformamos, em apenas 5 anos, em referência na preparação para o Exame de Ordem, e isso, creiam-me, não é resultado de ações de marketing, é resultado de um trabalho efetivo em prol dos nossos alunos.

Nossos professores forem escolhidos por serem algo mais do que mestres: o foram por conhecerem A FUNDO os caminhos do Exame de Ordem.

Não por acaso, ontem o nosso gabarito extraoficial, o 1º a ser publicado na internet, bateu 100% com o gabarito da FGV!

Gabarito extraoficial do Portal Exame de Ordem, o 1º a ser lançado, bateu 100% com o gabarito oficial da OAB!!!

Red One Hundred Percent

Não é pouca coisa!!!

ACIMA DE TUDO, coloquem na balança essa variável! É o elemento mais significativo a impactar na hora do resultado final.

2 – O contato DIRETO com os professores

Confesso que não sei como, em outros cursos, os alunos interagem com seus professores para tirar suas dúvidas.

Mas aqui, no maior curso que já nasceu INTEGRALMENTE online, o contato é direito!

Nós disponibilizamos uma ferramenta chamada “FALE CONOSCO” e nossos ALUNOS tem todas as dúvidas sanadas diretamente por nossos professores, sem intermediários e sem demoras!

No “FALE CONOSCO” vocês falam mesmo com os professores, sandando toda a sorte de dúvidas, desde a estrutura das peças, linhas de argumentação e o conteúdo doutrinário/jurisprudencial da disciplina

Direto e reto!

3 – Sistema de SIMULADOS

Todos os professores oferecem simulados para mostrar, com as correções, como funciona em detalhes o sistema de construção das peças, adentrando nos detalhes na arte de peticionar.

4 – Volume BRUTO de conteúdo

Quando eu falo em bruto é BRUTO mesmo!

Sem paralelos no mercado!!!

Não são só as aulas específicas da 2ª fase (sempre inéditas!!) mas também aulas bônus de vários cursos TOP para concursos públicos! Aulas recentes, voltadas para os concursos mais importantes de 2014.

Creiam-me: não tem nada igual!

5 – As aulas já praticamente gravadas

 Ao adquirir o curso do Portal, vocês não perdem tempo com NADA! Como nosso curso é aprofundado, tendo com bônus aulas para os candidatos que ficaram para a repescagem, as aulas de 2ª fase já estão com as gravações muito adiantadas! É comprar e simplesmente cair matando com MUITO conteúdo já disponível!

E as aulas bônus já estão integralmente disponibilizadas para vocês!

E então? convencidos?

O Exame de Ordem acontece, DE VERDADE, aqui!