Maurício Gieseler

Maurício Gieseler

Advogado em Brasília (DF), este blog é focado nas questões que envolvem o Exame Nacional da OAB, divulgando informações e matérias atualizadas, além de editoriais, artigos de opinião e manifestações que dizem respeito ao tema. Colocamos, também, a disposição de nossos visitantes provas, gabaritos, dicas, análises críticas, sugestões e orientações para quem pretende enfrentar o certame. Tudo sobre o Exame de Ordem você encontra aqui.

Fale com ele
- Categoria: Advocacia

Presidente da OAB/DF impugna inscrição de Joaquim Barbosa como advogado

Eitaaaa!!!

Mal saiu a notícia e os corredores da república entraram em combustão: o presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha, impugnou a inscrição de Joaquim Barbosa como advogado na OAB/DF!

Confiram a notícia do Migalhas:

3

O advogado Ibaneis Rocha entrou com impugnação ao pedido de inscrição do ex-ministro JB nos quadros da OAB/DF. Ibaneis, que também é presidente da seccional, mas que no caso agiu na qualidade de advogado, alega que JB infringiu o Estatuto da Advocacia.

De fato, em junho, às vésperas de sua saída do STF, ao indeferir o pedido de autorização de trabalho externo para José Dirceu, JB afirmou que a proposta de trabalho apresentada pelo escritório do advogado José Gerardo Grossi seria uma “mera action de complaisance entre copains”.

Por esse motivo, a OAB/DF realizou em 10/6 sessão de desagravo público a José Gerardo Grossi, tendo como agravante o ministro por ferir as prerrogativas profissionais do advogado.Nessa mesma sessão de desagravo, Ibaneis afirmou que se o ministro fosse pleitear a carteira da OAB/DF ele não a concederia.

Assim, chegada a hora, Ibaneis Rocha sustenta que Joaquim Barbosa não tem os requisitos necessários para a inscrição nos quadros da Ordem.

Caberá à Comissão de Seleção da OAB/DF decidir tanto sobre o pedido de inscrição de JB quanto a impugnação de Ibaneis. Em caso de recurso, caberá a decisão ao Conselho Pleno da Seccional, do qual o battonier não poderá participar.

Fonte: Migalhas

Essa foi uma medida bastante corajosa do presidente da OAB/DF! Joaquim Barbosa é um personagem muito conhecido no cenário nacional e a notícia vai gerar grande repercussão.

Agora…Joaquim violou mesmo o estatuto?

Os requisitos para o ingresso na advocacia estão no art. 8º do Estatuto:

Art. 8º Para inscrição como advogado é necessário:

I – capacidade civil;

II – diploma ou certidão de graduação em direito, obtido em instituição de ensino oficialmente autorizada e credenciada;

III – título de eleitor e quitação do serviço militar, se brasileiro;

IV – aprovação em Exame de Ordem;

V – não exercer atividade incompatível com a advocacia;

VI – idoneidade moral;

VII – prestar compromisso perante o conselho.

§ 1º O Exame da Ordem é regulamentado em provimento do Conselho Federal da OAB.

§ 2º O estrangeiro ou brasileiro, quando não graduado em direito no Brasil, deve fazer prova do título de graduação, obtido em instituição estrangeira, devidamente revalidado, além de atender aos demais requisitos previstos neste artigo.

§ 3º A inidoneidade moral, suscitada por qualquer pessoa, deve ser declarada mediante decisão que obtenha no mínimo dois terços dos votos de todos os membros do conselho competente, em procedimento que observe os termos do processo disciplinar.

§ 4º Não atende ao requisito de idoneidade moral aquele que tiver sido condenado por crime infamante, salvo reabilitação judicial.

Ao que eu me lembre, Joaquim não é moralmente inidôneo. Não foi condenado em nenhum crime infamante (até onde sei) e tampouco foi declarada pelo conselho da OAB/DF.

De toda forma, trata-se de um pedido de impugnação, e não de um indeferimento em si.

Vamos ver onde essa história vai parar!!

 

- Categoria: Cursos do Portal

Saiu o edital do XV Exame da OAB: confiram os cursos CERTOS visando a MELHOR preparação para a prova!

foto (3)
Como vocês já sabem, o edital do XV Exame de Ordem foi publicado ontem pela FGV e a contagem regressiva para a prova do dia 16 de novembro teve início.

Como implementar uma preparação de qualidade daqui até o dia da prova?

Existe uma série de elementos que conduzem a uma preparação de qualidade, mas considero 4 essenciais: tempo, concentração, qualidade do material de estudo e metodologia.

Destes o tempo é o mais precioso neste momento, pois ele é o elemento mais excesso dentro desta tríade.

Concentração e metodologia dependem do candidato e dependem da força de vontade e da percepção das próprias capacidades. Podem ser trabalhados para se tornarem mais poderosos ao longo do tempo.

Quanto ao material de estudo, sugiro, evidentemente, os cursos do maior curso online do Brasil: O CERS/Portal Exame de Ordem.

Cursos específicos em conformidade com o momento e as necessidades específicas dos examinandos. Confiram:

2

O curso de isoladas é para quem tem dificuldades em alguma disciplina em específico e tem o interesse em reforçar a preparação nelas.

A vantagem do curso de disciplinas isoladas é que o aluno pode optar apenas por uma ou mais matérias específicas, focando seus estudos de forma a reforçar o que já sabe ou visando debelar deficiências no conhecimento em pontos determinados.

É também uma opção interessante para quem não pode pagar por um curso completo.

Confiram as disciplinas disponíveis clicando no link abaixo:

Disciplinas Isoladas para o XV Exame de Ordem

1

O UTI 60 Horas serve tanto para os candidatos que já estão estudando e querem uma abordagem tópica, voltada para os temas mais quentes cobrados pela FGV ou para os candidatos que estão iniciando os estudos neste momento e querem aumentar as chances de sucesso com as dicas oferecidas pelos professores.

São dois estágios diferentes de preparação, mas o objetivo acaba sendo praticamente o mesmo: otimizar o desempenho!

Projeto UTI atende bem esses dois perfis!

Seu objetivo é oferecer aproximadamente 62 horas de revisão através de DICAS fornecidas pelos maiores professores especialistas em Exame de Ordem no Brasil, abrangendo todas as disciplinas cobradas na prova objetiva. É um curso INTENSIVO de dicas e tem feito a diferença para muitos candidatos na hora da verdade!!!

As dicas dadas durante o Projeto UTI 60 horas efetivamente fazem a diferença para os candidatos!

10675515_765364053524775_58655104958234813_n

E vem aí mais uma edição do Super UTI, e desta vez iremos para a capital dos gaúchos: Porto Alegre!

O Super UTI tem a mesma matriz do Projeto UTI 60 Horas, ou seja: dicas e dicas para a OAB, mas sem ter a mesma extensão.

É um curso de dicas, MUITO INTENSIVO, e dura apenas um dia. É um modelo voltado também para dicas de relevância, rápido em sua duração (9 horas) que também assume o papel de empolgar o examinando na reta final.

Um carga rápida de dicas e de estímulos faltando uma semana para a prova.

Compensa muito porque o valor das dicas sempre é significativo. Sempre várias questões na prova podem ser respondidas pelos candidatos por lembrarem exatamente de algumas dicas certeiras passadas no Super UTI. Como o curso tem um valor bem acessível – R$ 59,74 – é uma pedida quase que obrigatória para quem vai fazer a prova.

Quem quer acompanhar pela internet também pode fazê-lo – Super UTI Online

E quem mora em Porto Alegre pode fazer o curso presencial – Super UTI Presencial

1

Resolver questões talvez seja a sistemática mais efetiva para evocar um conhecimento previamente assimilado e fixá-lo, através da experiência prática, com mais intensidade na memória.

O objetivo do curso é revisar através da resolução de questões o conteúdo para o XV Unificado abordando o material da banca FGV (do Exame de Ordem e de concursos também!) proporcionando ao aluno a revisão de pontos relevantes do conteúdo programático e a familiarização com as provas da Fundação.

Cliquem no link a seguir para mais detalhes sobre o curso - CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES.

fb-20

Este curso é ministrado por MESTRES na preparação para o Exame de Ordem: Renato Saraiva, Geovane Moraes, Cristiano Sobral, Aryana Manfredini, Matheus Carvalho, Flávia Bahia, Ana Cristina, André Mota, Francisco Penante, Sabrina Dourado, Paulo Machado, Frederico Amado, Cristiane Dupret, Bernardo Montalvão e Alexandre Bezerra.

A carga horária do curso é de 103 encontros, com 2 horas cada encontro, totalizando, aproximadamente, 206 horas/aulas. é o nosso curso completo: abrangente quanto ao conteúdo da prova.

Cliquem no link e inscrevam-se no Curso Preparatório Completo para o XV Exame de Ordem.

O Exame de Ordem acontece aqui, no Portal Exame de Ordem!

- Categoria: Como se preparar para a prova

Não sei se caso, se compro uma bicicleta, ou escolho Trabalho, ou Civil, ou Constitucional…

mtbcaketopper

E agora? Como escolher entre Trabalho, Penal, Civil ou Constitucional?

Essa pergunta é tão difícil quanto aquela outra que vocês sempre se fazem: caso ou compro uma bicicleta?

Página de inscrição no XV Exame de Ordem

O grande ponto quando pensamos em segunda fase da OAB é simples: o candidato fez algum estágio ou núcleo de prática jurídica em sua faculdade? Em caso negativo, aí sim temos um problema.

Um problema bem sério.

A ausência de prática na faculdade, que não é algo incomum, por mais incrível que possa parecer, prejudica imensamente o desempenho do candidato na prova subjetiva.

Aprender a peticionar somente quando se vai para um curso de 2ª fase para a OAB é algo meio complicado. O candidato terá de absorver muita informação muito rapidamente, e não raro sente dificuldades neste processo. Pior! Isso não é algo reservado a uma pequena parcela dos examinandos: muitos se enquadram nesta categoria e sentem real dificuldade no processo de escolha.

Aqui aparentemente não importa muito qual a disciplina: e dúvida é ampla e é real.

Como escolher então a disciplina para a 2ª fase do Exame de Ordem?

Como fazer a melhor escolha da disciplina de 2ª fase no Exame de Ordem

Análise do edital XV Exame de Ordem! Apenas duas pequenas novidades!

Bom….eu sou contra, há muito tempo, de estabelecer qualquer forma de influência direta sobre o candidato. Minhas convicções são firmes no sentido de que o processo de escolha depende de avaliações pessoais e mensuração EMPÍRICA (na prática) de desempenho.

Qualquer coisa diferente disto resvala para o campo do achismo.

A melhor fórmula envolve a resolução de provas passadas nas disciplinas de escolha e, dentre aquelas em que o desempenho é mais consistente, o candidato faz a sua escolha.

Este é o caminho mais honesto e racional.

Mas vamos admitir que a dúvida é tão intensa que o candidato PRECISA de uma dica, precisa de um norte para poder finalmente decidir.

Bom…aconselhar é uma arte perigosa, e precisa ser feita com muita parcimônia. Vou aqui, apenas para esta hipótese, sugerir uma disciplina para quem está em dúvida.

No caso, seria Direito Constitucional.

Empresarial e Constitucional historicamente possuem os menores números de inscrições, sendo que a briga entre uma e outra disciplina para ocupar o último lugar é acirrada, por assim dizer.

Partindo dessa observação, vamos estabelecer uma premissa e depois fazer uma avaliação.

A premissa: as disciplinas com a maior quantidade de inscritos costumam ser as mais problemáticas. Isso não só é uma constatação real como também é um parâmetro dentro da FGV: eles, deliberadamente, apertam os parafusos onde a maioria se inscreveu.

Assumindo essa premissa como verdadeira, EM TESE, Constitucional e Empresarial seriam as escolhas mais óbvias para quem está em dúvida.

A avaliação: Constitucional junto com Civil (e o Processo Civil) são as disciplinas-mães de todas as demais. Nenhum sistema processual ou de direito material deixa de se informar nessas duas de alguma forma.

Ou seja: essas duas disciplinas, com certeza, são básicas para qualquer um.

Constitucional tem um sistema de regras muito definido, e dentro do Exame de Ordem vale-se de um conjunto de peças não muito amplo e, em especial, um dos mais fáceis de serem identificados.

O mais fácil, desde muito tempo até hoje, é o Direito do Trabalho. Mas como Trabalho é um ramo com muitas particularidades, para quem está na dúvida Constitucional é o que oferece a melhor lógica para se acompanhar.

Em regra (em regra!!) as ações cobradas nas provas estão presentes na própria CF, em um rol não muito extenso:

Direito Constitucional

XIV Exame de Ordem – FGV - Recurso Ordinário Constitucional em MS para o STF

XIII Exame de Ordem - FGV – Adin

XII Exame de Ordem - FGV – Recurso Extraordinário

XI Exame de Ordem – FGV – Mandado de Segurança

X Exame de Ordem – FGV – Recurso Extraordinário

IX Exame de Ordem Unificado – FGV – Ação Ordinária/mandado de segurança

VIII Exame de Ordem Unificado – FGV – Recurso Extraordinário

VII Exame de Ordem Unificado – FGV – Ação Direta de Inconstitucionalidade

VI Exame de Ordem Unificado – FGV – Ação Popular

V Exame de Ordem Unificado – FGV – Ação Ordinária com pedido de tutela antecipada ou mandado de segurança com pedido de liminar (são duas repostas por conta de uma falha grotesca no enunciado e muitas reclamações dos candidatos)

IV Exame de Ordem Unificado – FGV – Recurso ordinário em mandado de segurança (CF, Art. 105, II, b) de competência do STJ

2010.3 (FGV) – Habeas-data

2010.2 (FGV) – Mandado de Segurança com pedido liminar

2010.1 (Cespe/UnB) – Mandado de Segurança Coletivo com pedido liminar

2009.3 (Cespe/UnB) – Ação popular com pedido liminar

2009.2 (Cespe/UnB) – Ação popular com pedido liminar

2009.1 (Cespe/UnB) – Mandado de Segurança com pedido liminar

2008.3 (Cespe/UnB) – Mandado de Injunção

2008.2 (Cespe/UnB) – Ação Direta de Inconstitucionalidade

2008.1 (Cespe/UnB) – Mandado de Segurança

2007.3 (Cespe/UnB) – Reclamação Constitucional com pedido liminar

2007.2 (Cespe/UnB) – Mandado de Segurança preventivo coletivo

2007.1 (Cespe/UnB) – Habeas Corpus

As ações Constitucionais de um modo geral são de identificação óbvia, e isso é muito útil para qualquer examinando que tem dificuldades em identificar a peça adequada ao problema proposto.

Além disso, o direito material constitucional é basilar, está na essência de qualquer concurso (assim como o Direito Administrativo) e informa todas os demais ramos jurídicos.

Quem precisa de uma dica para escolher e queria uma sugestão, essa é, ao meu ver, uma indicação bem ponderada.

Pode não ser a melhor, mas como eu disse, aconselhar é uma arte difícil. Nem mesmo com a indicação o candidato deve deixar de pensar por si mesmo. Se a dica for seriamente considerada, ao menos antes olhem provas anteriores de Constitucional para realmente estabelecerem com alguma segurança o processo final de escolha.

XIV

Prova

Padrão

XIII

Prova

Padrão

XII

Prova

Padrão

XI

Prova

Padrão

As inscrições vão até o próximo dia 13 de outubro.

- Categoria: Editais

Análise do edital XV Exame de Ordem! Apenas duas pequenas novidades!

Saiu o edital do XV Exame de Ordem! Por enquanto apenas este edital, sem o correlato edital da repescagem, tal como ocorreu na oportunidade passada.

A FGV ainda não liberou também o link de inscrição para os candidatos.

Confiram o edital: Edital do XV Exame de Ordem

Tivemos apenas 2 pequenas inovações neste edital. No mais, as regras permanecem as mesmas. Leiam tudo para ficarem por dentro:

1 – Calendário do XV Exame

2

A FGV não alterou as datas das provas! Isso é muito bom, pois não altera o planejamento dos candidatos. Quem está seguindo um cronograma de estudos não vai precisar implementar nenhuma alteração.

2 – Da inscrição

1.4.3. Poderão realizar o Exame de Ordem os estudantes de Direito que, na data de inscrição para o Exame de Ordem, estejam matriculados nos últimos dois semestres ou no do último ano do curso de graduação em Direito.

Aqui a redação manteve uma alteração patrocinada no Exame retrasado: quando foi acrescentada a expressão “ou do último ano do curso.”

No caso, trata dos bacharéis que estão nos dois últimos semestres do curso, independente de quantos semestres tenha o curso, seja o 10 ou o 12.

IMPORTANTE: a retirada do certificado de aprovação no Exame de Ordem só poderá ser feita caso, quando o certificado for ser retirado, após a aprovação, o candidato comprovar que no momento da inscrição no Exame (ou seja, a inscrição posta como situação pretérita), o candidato demonstre que já estava matriculado nos dois últimos semestres:

1.4.4.2. Os estudantes que forem aprovados no XV Exame de Ordem Unificado e ainda não concluíram o curso de graduação em Direito poderão retirar seus certificados de aprovação caso comprovem que, na data de inscrição para o XV Exame, já estavam matriculados nos dois últimos semestres ou no último ano do curso.

Ou seja: quem for se inscrever já deverá estar inscrito nos 2 últimos semestres ou no último ano. Na realidade, terá o último dia de inscrição para se matricular no semestre adequado. Do contrário, o examinando não poderá aproveitar a aprovação.

3 – Da mudança do local de realização da prova

2

Quem não quer ou não pode prestar o exame no local onde se formou ou onde tem domicílio eleitoral poderá pedir para fazer a prova onde deseja, fazendo-o de forma FUNDAMENTADA.

4 –  Da inscrição

2.1.2. A inscrição consistirá na submissão, exclusivamente via Internet, nos endereços eletrônicos http://oab.fgv.br ou http://www.oab.org.br no período entre 17h do dia 29 de setembro de 2014 e 23h59min do dia 13 de outubro de 2014, observado o horário oficial de Brasília/DF, do formulário de solicitação de inscrição devidamente preenchido. Submetido o formulário, o examinando deverá imprimir o boleto bancário correspondente, lembrando que a homologação da inscrição somente se dará após o pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ 200,00 (duzentos reais).

5 –  Do pagamento do boleto

2.1.2.1. Todos os examinandos inscritos poderão reimprimir seu boleto bancário, caso necessário, no máximo até as 23h59min do dia 22 de outubro de 2014, quando este recurso será retirado do site da FGV, para pagamento neste mesmo dia, impreterivelmente. A FGV não enviará boleto bancário por e-mail a examinandos

O pagamento final do boleto é no próprio dia 22 de outubro. Não percam este prazo.

E aqui uma curiosidade! A FGV está fazendo a recomendação para os candidatos não passarem por fraudes na geração de boletos:

2.1.5. Todos os boletos gerados na página de acompanhamento para o pagamento da taxa de inscrição contêm os dígitos 00198.94005 60000.000053 no início da linha digitável do código de barras. Portanto, é recomendável que o examinando se certifique que o computador que está utilizando para a inscrição no Exame de Ordem encontra-se livre de quaisquer vírus ou malwares, tendo em vista a possibilidade de existência de mecanismos mal intencionados que adulteram o código de barras do boleto de pagamento, ocasionando a não quitação do boleto junto à FGV.

Prestem atenção nos dígitos então!

6 –  Da repescagem

2.8.1. De acordo com o Provimento 144, de 13 de junho de 2011, e suas alterações posteriores constantes do Provimento 156/2013, de 1º de novembro de 2013, do Conselho Federal da OAB, o examinando que se submeter à prova prático-profissional e não alcançar nota igual ou superior a 6,00 (seis) pontos terá a faculdade de reaproveitar o resultado da prova objetiva, para fins de realização da prova prático-profissional do Exame imediatamente subsequente, mediante o pagamento do valor correspondente a essa fase.

2.8.1.1. O reaproveitamento descrito no item anterior é vedado aos examinandos ausentes ou eliminados da 2ª fase do XIV Exame de Ordem Unificado.

2.8.1.2. Os procedimentos para requerer o reaproveitamento do resultado de aprovação na 1ª fase do XIV Exame de Ordem Unificado serão dispostos em edital complementar com publicação prevista para o dia 10 de outubro de 2014.

Quem foi ELIMINADO ou faltou a última prova da 2ª fase NÃO poderá se valer da repescagem. Terá de se inscrever normalmente no XV e ser aprovado na próxima 1ª fase.

7 – A jurisprudência pacificada

3.4.1.2. As questões da prova objetiva poderão ser formuladas de modo que, necessariamente, a resposta reflita a jurisprudência pacificada dos Tribunais Superiores.

(…)

3.5.9. Para realização da prova prático-profissional o examinando deverá ter conhecimento das regras processuais inerentes ao fazimento da mesma.

3.5.11. As questões da prova prático-profissional poderão ser formuladas de modo que, necessariamente, a resposta reflita a jurisprudência pacificada dos Tribunais Superiores.

Na prova do XI Exame foi criada uma grande expectativa quanto permissão do uso de jurisprudência tanto na 1ª como na 2ª fase, mas isso não mudou em nada a dinâmica do Exame, nem nela e nem no XIV Exame. Na 2ª fase já usavam mesmo muitas abordagens juriprudenciais e na última prova nada de exótico foi cobrado.

No stress!

8 – A nova redação quanto ao critério de avaliação da redação das provas subjetivas:

3.5.10. O texto da peça profissional e as respostas às questões práticas serão avaliados quanto a adequação ao problema apresentado, a domínio do raciocínio jurídico, a fundamentação e sua consistência, a capacidade de interpretação e exposição e a técnica profissional demonstrada, sendo que a mera transcrição de dispositivos legais, desprovida do raciocínio jurídico, não ensejará pontuação.

Essa é uma redação nova no edital, apesar da regra já ser antiga. Ou seja: a FGV certamente vai dar mais valor AINDA a forma como os candidatos redigem suas peças e questões. A correção da redação é de suma importância na 2ª  fase.

9 – Ocorrência de hipóteses excepcionais

3.6.23. Se, por qualquer razão fortuita, o exame sofrer atraso em seu início ou necessitar interrupção, será dado aos examinandos do local afetado prazo adicional de modo que tenham no total 5 (cinco) horas para a prestação do exame.

3.6.23.1. Os examinandos afetados deverão permanecer no local do exame, não contando o tempo de interrupção para fins de interpretação das regras deste Edital.

3.6.23.2. Em casos excepcionais, quando a situação verificada impossibilitar o prosseguimento das provas em condições isonômicas a todos os examinandos envolvidos, a Coordenação Nacional do Exame de Ordem poderá deliberar pela suspensão da aplicação em determinada localidade, com o agendamento de nova data para o prosseguimento do certame, preservando válidas as provas aplicadas nos demais polos de prova no país.

Pela primeira vez a FGV cria uma regra para os caso fortuitos que porventura venham a a ocorrer durante a aplicação das provas. E, como nós sabemos, o risca é bem real. A regra visa proteger a aplicação da prova em si.

10 – O critério de indicação das peças práticas

02

Isso significa que a peça inadequada agora é toda aquela que não for, estritamente, a peça apontada pela OAB como a correta quando da publicação do padrão de resposta, não existindo mais a margem para o cabimento de peças que não representariam a inépcia da inicial ou coubesse a fungibilidade no caso de recursos.

A peça certa é aquela escolhida pela OAB.

11 – Do gabarito da 1ª fase e padrão de resposta nos mesmos dias das provas

5.1. Os gabaritos preliminares da prova objetiva serão divulgados às 22h do dia 16 de novembro de 2014, observado o horário oficial de Brasília/DF, e o resultado preliminar da prova objetiva será divulgado na data provável de 2 de dezembro de 2014.

5.2. Os padrões de respostas preliminares da prova prático-profissional serão divulgados às 22h do dia 11 de janeiro de 2015, observado o horário oficial de Brasília/DF, e o resultado preliminar da prova prático-profissional será divulgado na data provável de 3 de fevereiro de 2015.

12 – Sobre as anulações

5.9. No caso de anulação de questão integrante da prova objetiva, a pontuação correspondente será atribuída a todos os examinandos indistintamente, inclusive aos que não tenham interposto recurso.

5.9.1. No caso de anulação de qualquer parte da prova prático-profissional em determinada área jurídica, a pontuação correspondente será atribuída a todos os examinandos que realizaram a prova nessa área, inclusive aos que não tenham interposto recurso.

Na 2ª fase, eventuais anulações só serão aproveitadas pelos candidatos que fizeram a disciplina cujo item de prova venha a ser anulado. Isso deu um imenso problema no X Exame de Ordem, sanado no XI Exame.

13 – Do material permitido e proibido na 2ª fase

Leiam com atenção este quadro. Ele é importante para delimitar o que pode e o que não pode ser levado para a 2ª fase.

Neste ponto não tivemos nenhuma modificação em relação ao edital passado. Em regra, todos os grandes códigos e vades para a 2ª fase são permitidos, ao menos aqueles elaborados pela grandes editoras.

8

3

—————

Muito bem!

Em breve o link de inscrição será disponibilizado para vocês.

Começou a corrida para o XV Exame de Ordem!

- Categoria: Resultados

E próxima sexta-feira teremos o resultado preliminar do XIV Exame de Ordem!!

heart

Muito bem jovens! Na próxima sexta-feira saberemos quem vai poder ou não ostentar a carteira da OAB!

Será para vocês com certeza a mais longa e demorada semana. Vocês terão a impressão que as eleições vão chegar antes do resultado. É muita expectativa!

E a data não só é importante para por o ponto final em uma jornada como também pode será o ponto de partida para quem vai enfrentar a repescagem.

Explico: com o resultado preliminar definido, o candidato reprovado terá que tomar uma atitude e uma decisão.

A atitude é trabalhar nos recursos e torcer para que eles sejam providos.

A decisão é se vai CONFIAR no recurso e esperar seu resultado ou se vai recorrer e, por precaução, começar a estudar para a próxima prova subjetiva, e do XV Exame de Ordem.

Qual a melhor decisão?

Diz o ditado popular que prevenir é melhor do que remediar. Se isso for verdade, o melhor é dar início aos estudos e focar na próxima 2ª fase, podendo estudar sua disciplina de escolha por toda sua amplitude e profundida, tendo um tempo mais do que elastecido para isto.

Lembrando que a repescagem vale por uma única oportunidade. Se o candidato reprovar na próxima 2ª fase, terá de estudar tudo de novo e enfrentar a 1ª fase do XVI Exame. E essa perspectiva não é nada agradável…

O importante no dia 3, caso o resultado seja negativo, é manter, acima de tudo, a calma!

Sim! Reprovar é uma experiência MUITO desagradável, mas agora a perspectiva quanto ao futuro não é tão ruim assim. Caso o resultado seja negativo, dê aquela respirada e faça escolhas pragmáticas, sem paixões.

E quanto ao dia 3? Teremos muitas aprovações?

Sim, acho que algo próximo aos 70% dos candidatos vão poder comemorar a aprovação na sexta-feira. É uma expectativa razoável dentro do feedback colhido com vocês.

Então é isso! Vamos aguardar!

- Categoria: Editais

Mais informações sobre a publicação do edital do XV Exame de Ordem

Eu me lembro de resultados terem atrasado, ou mesmo de uma 2ª fase inteira ter sido anulada (Exame de Ordem 2009.3), mas não me lembro de um adiamento da publicação de um edital.

E este atraso tem uma causa!

Acabei de ligar no CFOAB e me reconfirmaram a informação de que o edital vai ser publicado entre hoje e amanhã, e que o atraso deriva de uma MUDANÇA de última hora feita pela FGV no próprio edital. Infelizmente o próprio pessoal da comissão ignora a natureza desta alteração.

Interessante isto: uma mudança que gera um atraso na publicação do edital. O que seria?

Datas? Locais de prova? Alguma regra relevante?

Ou deu algum “chabú” dentro da FGV e o atraso deriva de outras causas?

Até onde consta, não houve nenhum debate ou discussão dentro da OAB deliberando sobre inovações na prova.

Não vou me dar ao trabalho de especular muito, pois a mudança pode ocorrer em qualquer um dos pontos do edital. Vamos ficar na curiosidade até ele ser efetivamente publicado. Mas, acredito, dá para descartar qualquer alteração no conteúdo programático do Exame. Certamente isto seria objeto de prévia deliberação, e a OAB trataria disto com uma boa antecedência tal como fez quando introduziram a Filosofia do Direito.

Em princípio, imagino, as datas das provas permanecerão as mesmas, do contrário a OAB teria alterado elas em seu site:

3

A alteração se deu apenas nas datas de publicação do edital e do período de inscrição.

O jeito agora é aguardar para ver o tamanho da surpresa engendrada pela FGV.

- Categoria: Editais

ATENÇÃO: edital do XV Exame de Ordem NÃO será publicado hoje!

2

Pois é…

Exatamente como vocês, eu também fiquei cansado de esperar pelo edital e resolvi tentar descobrir a razão de tamanha demora em sua publicação.

Como todos sabem, as datas do Exame de Ordem em 2014 foram divulgadas no começo do ano no próprio site da OAB, e, efetivamente, hoje seria o dia da divulgação do edital do XV Exame:

2

Em julho deste ano o CFOAB mudou as datas das provas da 1ª fase do XV Exame, mas sem, contudo, alterar a data de inscrição:

Conselho Federal da OAB altera o calendário do XV Exame de Ordem

Pois é!

Resolvi entrar na página do Exame de Ordem no site da OAB para ver se algo havia sido publicado por lá e, para minha surpresa, as datas da publicação do Exame e o período de inscrição haviam sido suprimidas:

3

Resolvi então ligar na Comissão Nacional do Exame de Ordem, em Brasília, para questionar o que estava acontecendo, e recebi a informação de que o edital do XV Exame NÃO será publicado hoje.

Não me deram um motivo. Apenas explicaram que o edital provavelmente será publicado na próxima segunda ou, no mais tardar, na terça-feira.

Desconheço as razões para tal postergação. Talvez a Comissão esteja discutindo alguma novidade na prova (acho difícil, ao menos agora) ou houve algum problema de ordem técnica (o que é uma teoria para lá de abrangente).

De toda forma, hoje não teremos nenhum edital.