Maurício Gieseler

Maurício Gieseler

Advogado em Brasília (DF), este blog é focado nas questões que envolvem o Exame Nacional da OAB, divulgando informações e matérias atualizadas, além de editoriais, artigos de opinião e manifestações que dizem respeito ao tema. Colocamos, também, a disposição de nossos visitantes provas, gabaritos, dicas, análises críticas, sugestões e orientações para quem pretende enfrentar o certame. Tudo sobre o Exame de Ordem você encontra aqui.

Fale com ele
- Categoria: Anulações de questões, Estatísticas

Como funciona o processo de anulação das questões na 1ª fase da OAB?

2

Como funciona o processo de anulação das questões na 1ª fase da OAB? 

Essa é a pergunta que alguns candidatos estão fazendo agora. Bom, exatamente como funciona ninguém sabe. Só temos partes de informações e algumas certezas sobre como não funciona.

E como não funciona?

Após TODAS as edições do Exame Unificado, que acompanho desde 2007, não foi difícil constatar que as razões jurídicas não funcionam. Independentemente dos membros que ocupam a coordenação do Exame de Ordem. Parece que há uma unidade de pensamento quanto a este tema dentro da OAB.

Em quase todas as edições passadas falhas terríveis em questões não eram combatidas pela OAB, frustrando o Examinandos.

E como funciona as anulações? Sabemos que a coordenação do Exame se reúne e delibera sobre um apanhado de razões jurídicas levantadas pela FGV, com a indicação dos argumentos jurídicos que sustentam tecnicamente as questões.

Na prática os recursos para cada questão são iguais, ao menos nas razões jurídicas das fundamentações. É feita uma compilação das razões e elas são apresentadas para a coordenação. Esta delibera então, em um único dia, sobre quais serão anuladas.

E como eles deliberam?

Uma vez conversei com um conselheiro de uma seccional sobre isso. Ele era presidente da comissão de Exame de Ordem na época do CESPE. Ou seja, faz muito tempo. O procedimento era o seguinte: o pessoal do CESPE apresentava as razões recursais e o número de recursos dos candidatos para cada questão, e um cálculo sobre o impacto no número de aprovados que cada questão anulada produziria.

E parece que é isso mesmo! O cálculo sobre o impacto no número de aprovados que cada questão anulada produziria.

Ele falou a verdade? Bom, não havia razão para não falar a verdade, mas não posso asseverar de que se tratava da mais pura e cristalina verdade. Considerando que as anulações não aguardam correlação com os efetivos problemas nas questões, a historinha que ele me contou faz todo o sentido.

Na prática, olhando empiricamente, a falta de convergência entre o que está errado e o que é efetivamente anulado, edição após edição, dá muita força a este argumento. A não anulação de certas questões beiram o absurdo.

Imaginem se de fato uma prova apresenta sete questões realmente viciadas e isso gerasse correlatas sete anulações? A maioria dos candidatos seria aprovada na 1ª fase.

Aqui vale lembrar o que aconteceu na 1ª fase do VIII Exame de Ordem, quando então tivemos, à época, o recorde de aprovação.

Falavam abertamente em até 8 anuláveis, mas a OAB pensou de forma muito diferente! Como na 1ª fase do VIII Exame, antes de qualquer eventual anulação, já havia se descortinado o recorde de aprovados (51.278) em uma 1ª fase, a banca achou por bem (sob a lógica que agora narro a vocês, ou seja, minha opinião) não anular nada.

Isso destruiu os sonhos de muitos recorrentes.

E na época, já de posse da lista de aprovados na 1ª fase ANTES dos recursos (pois é, os recordes não são escondidos), já se descortinava essa perspectiva - E agora? O que esperar das anulações e da 2ª fase da prova da OAB?

Nesta edição já temos 55.199 candidatos na 2ª fase, o que é um número considerável de candidatos.

Vamos tentar constatar, mais uma vez, se a OAB anula mesmo por critérios técnicos ou apenas para manter os números em dia.

De hoje não passa!

- Categoria: Resultados

Teremos anulações? FGV divulgará hoje a lista final de aprovados na 1ª fase!

4

Oremos, jovens, oremos!

Hoje é dia de orar bastante e esperar que as luzes da razão e da sabedoria incidam nas cabeças dos responsáveis pelas anulações das questões na 1ª fase do Exame de Ordem.

Isso porque seria trágico termos mais uma edição da prova sem NENHUMA anulação, como se os erros nas questões da 1ª  fase simplesmente não existissem.

E nós sabemos que eles estão lá, só esperando serem reconhecidos pela banca, pois pelo Direito eles são insofismáveis.

Muito bem! Hoje a FGV vai nos dizer finalmente se teremos ou não questões anuladas e publicará a lista definitiva de aprovados para a 2ª fase! Também saberemos quem assegurará para si o direito de ir para a repescagem no XV Exame de Ordem.

Inscreveram-se para a repescagem 17.185 candidatos reprovados na 2ª fase do Exame passado. Nesta edição, segundo o UOL, tivemos 110.820 inscritos, sendo que destes 38.014 foram aprovados na 1ª fase. Logo, temos um total de 55.199 examinandos certos na próxima 2ª fase aguardando apenas a divulgação da lista final de aprovados.

Vamos rever, mais uma vez, o histórico de anulações registrado pelo Blog desde o advento da era FGV:

IV Unificado – 3 questões

V Unificado – 1 questão

VI Unificado – 2 questões

VII Unificado – 4 questões

VIII Unificado – Nenhuma anulação

IX Unificado – 3 questões

X Unificado – Nenhuma anulação

XI Unificado – 1 questão

XII Unificado - Nenhuma anulação

XIII Unificado - Nenhuma anulação

XIV Unificado – ?????????

Pelos erros na prova eu estava esperando por até 3 anulações. É o que faria mais sentido em função das falhas. Vamos ver o que a banca nos apresentará.

Infelizmente existe a perspectiva tangível de que nenhuma seja anulada. Infelizmente o universo das anulações se assemelha ao fantástico mundo de Bob, onde o improvável pode acontecer.

Olhem a relação acima de anulações, em especial, dada a proximidade temporal, a partir do VII Exame. Vocês realmente acham que não tivemos vários recursos protocolados pelos candidatos nestas edições? Vocês acham mesmo, por exemplo, que no VIII, no X, XII ou XIII nada estava errado?

SEMPRE temos questões problemáticas e NUNCA, nunca mesmo, as anulações correspondem ao que os examinandos efetivamente tentam impugnar via recurso.

E essa lógica se manifesta edição após edição da prova.

Uma regra: o número de anuladas nunca corresponde ao volume de recursos apresentados e o errado pode ser visto como certo.

Justo, injusto, certo ou errado, quem manda é a Comissão do Exame de Ordem e, em especial, os membros da Banca Recursal, e o resultado final é sempre resultado da visão deste pequeno colegiado sobre os recursos.

Vejamos agora o quadro de probabilidades de aprovação em razão do número de questões anuladas:

Candidato com 39 pontos - Se a OAB anular uma questão, a probabilidade de que essa questão seja uma das que você errou é de 50%. Se anular duas75% e se anular três95% de chances.

Candidato com 38 pontos - Se a OAB anular duas questões, a probabilidade de que essas questões sejam duas das que você errou é de 25%. Se anular três50%, e se anular quatro75% de chances.

Candidatos com 37 pontos - Se a OAB anular três questões, a probabilidade de que essas questões sejam três das que você errou é de 7,5%. Se anular quatro25%, e se anular cinco50% de chances.

E o horário do resultado? Geralmente a lista é divulgada no final da tarde, por volta das 17 ou 18h. Tem sido assim nas últimas edições e não há razões para ser diferente agora. Evidentemente a FGV pode divulgar antes, mas não é algo tão provável assim. Teremos de esperar.

Preparem-se para um longo dia hoje. Fiquem ligados aqui no Blog e nas nossas redes sociais, pois estaremos antenados em qualquer novidade!

Portal Exame de Ordem

Maurício Gieseler

Grupo de Estudos para a OAB

@examedeordem

Quando a OAB divulgar alguma coisa, certamente será por um dos 3 links abaixo:

Página da FGV para o XIV Exame

Página da OAB

Página com notícias institucionais do Exame

Hoje saberemos a verdade!

- Categoria: Estatísticas

FGV publica lista de inscritos na repescagem do XIV Exame: 55199 candidatos já estão na 2ª fase

4

Eis que a FGv publica a relação com os nomes dos candidatos que se inscreveram na repescagem do XIV Exame de Ordem. Cliquem no link abaixo e confiram:

Edital – Inscrições Homologadas – Reaproveitamento da 1ª Fase

Inscreveram-se para a repescagem 17.185 candidatos reprovados na 2ª fase do XIII Exame.

Tivemos, nesta edição, 110.820 inscritos. Destes, 38.014 foram aprovados na 1ª fase, ou seja, 34,30%.

Logo, com a divulgação hoje da lista de inscritos na repescagem, temos um total de 55.199 examinandos certos na próxima 2ªfase.

E amanhã a FGV irá divulgar se a OAB resolveu anular alguma questão da 1ª fase, quando então teremos os números finais desta 1ª fase.

Será que a Ordem vai mesmo anular alguma coisa, apesar dos erros GRAVES em pelo menos 3 questões da 1ª fase? Cliquem no link abaixo e vejam a resposta:

Estatísticas da 1ª fase do XIV Exame de Ordem: 34,30% de aprovação

Amanhã então saberemos se a OAB vai ser mais técnica ou apenas pragmática na condução do seu Exame.

- Categoria: Advocacia

Doutrina Direcionada para a 1ª fase do Exame de Ordem

miniatura_doutrina-direcionada

Vocês devem conhecer os livros de doutrina consolidada para o Exame de Ordem disponíveis no mercado, certo?

Pois bem…

A Editora Armador apresenta o Doutrina Direcionada do Portal Exame de Ordem!

E ele é DIFERENTE!

Não é um livro de Doutrina abrangente, e sim um livro de doutrina DIRECIONADA, com foco nos temas mais significativos que são regularmente cobrados no Exame de Ordem.

Este enfoque diferenciado visa direcionar os estudos para o que efetivamente importa, oferecendo o reforço teórico onde realmente interessa, otimizando a preparação para a prova objetiva da OAB.

Esse tipo de abordagem, até onde me consta, inédita, visa oferecer ao estudante um direcionamento objetivo dentro do processo de preparação. A expertise dos autores desta obra – os professores do Portal Exame de Ordem, diuturnamente trabalhada em cursos como o Projeto UTI, Super UTI ou Curso de Resolução de Questões, e a comprovada eficácia da metodologia na preparação para a OAB dão a segurança para uma afirmação simples e segura: o método é eficaz!

O Exame de Ordem tem suas características. Observá-las, compreendê-las e doutrinar sobre este conjunto de elementos é o ponto forte desta equipe, agora traduzido na presente obra.

Os capítulos do livro foram divididos, cada um, por disciplinas, seguindo a sequência apresentada na prova objetiva. Essa sistemática de apresentação foi pensada para situar melhor o leitor dentro da dinâmica da prova, em especial respeitando a importância do peso de cada disciplina para os candidatos.

Em outras palavras, o conteúdo foi trabalho em função da incidência das questões na prova.

O foco, explicitamente, é o de propiciar uma preparação de forma ESTRATÉGICAconceito PIONEIRAMENTE criado por nós para o Exame de Ordem – envolvendo a otimização do uso do tempo e da abordagem do conteúdo.

O livro está de R$ 113.55 por R$ 99.98 no site da Editora Armador.

A preparação específica e estratégica para o Exame de Ordem vocês têm aqui!

Confiram o livro no site da Armador: Doutrina Direcionada do Portal Exame de Ordem

- Categoria: Advocacia

Simulador de preços na advocacia: como precificar seus honorários

3

Vi nas redes sociais um comentário sobre um site que ajuda os advogados a precificarem seus honorários. É o Simulador
de preços na Advocacia
.

O site ajuda o advogado a mensurar o valor da mão de obra, com base em horas, meses ou anos, em conformidade com o contrato.

Também ajuda a calcular o valor dos honorários com base do custo fixo do escritório, os impostos e a margem de lucro em cada contrato.

Não me aprofundei na ferramenta, mas ela aparenta ser bastante útil, tanto para jovens advogados como também para profissionais mais experientes.

Vejam o vídeo explicativo do site: Conheça o Simulador de Preços na Advocacia em 60s

Fica a dica!

- Categoria: Debate sobre a legitimidade do Exame de Ordem

Maioria de votantes em enquete da Câmara dos Deputados rejeita o Exame de Ordem

Chegou ao fim uma enquete da Câmara dos Deputados sobre quem seria favorável ou contra o Exame de Ordem.

Confiram abaixo:

2

O resultado não surpreende. Quem é contra a prova da OAB tem um nível de engajamento muito maior do que quem é favorável. Aliás, até surpreende que o percentual de rejeição não tenha ficado na casa dos 90%, como já ocorreu em outras enquetes semelhantes no passado.

Neste ano não veremos ataques ao Exame na Câmara em razão das eleições, mas em 2015 o deputado Eduardo Cunha deve voltar a carga e tentar acabar com a prova tal como vem tentando desde 2011.

Cunha não se furtou inclusive de usar práticas vedadas pelo regimento da Câmara, como a inserção do fim do Exame em projetos de lei cujos temas não guardavam nenhuma correlação com o Exame, tal como a MP das Elétricas:

Eduardo Cunha inclui fim de taxa para exame da OAB em MP que muda leis tributárias

Ou vulnerar a prova por vias transversas:

Eduardo Cunha agora quer acabar com a taxa de inscrição do Exame de Ordem

Como pano de fundo não há só o interesse de acabar com a prova, mas também o de enfraquecer a OAB no plano político/institucional. Tal como a promessa do deputado Marcos Feliciano de instalar a “CPI da OAB”:

Vem aí a CPI da OAB?

Pretensão que não passou de uma bravata marqueteira para angariar simpatias entre aqueles favoráveis ao fim do Exame.

Enfim…2015 está mais perto do que longe. Vamos quais invencionices irão tirar da cartola no próximo ano.

- Categoria: Promoções

E no sábado teremos mais uma Promoção Nocaute! 40% de desconto nos cursos do Portal!

2

Mais uma Promoção Nocaute neste fim de semana!!

No próximo sábado o nosso Renão Barão vai tentar retomar o cinturão do americano TJ Dillashaw.

Se o Renan Barão vencer, todos os cursos terão 40% desconto pelo período de 24h!

Vejam os cursos do Portal que estão na promoção:

Curso Preparatório Completo para o XV Exame de Ordem

Curso de Resolução de Questões

Serão 40% de desconto em todos os cursos do CERS*, em caso de vitória de Renan Barão.

- Categoria: Advocacia

“Comoditização” da advocacia: Ordem dos Advogados Americana não consegue fechar site de venda de petições

2

O que é uma commodity? Vamos olhar a definição da Wikipédia:

Commodity é um termo de língua inglesa que, como o seu plural commodities, significando literalmente mercadoria, é utilizado para designar bens e as vezes serviços para os quais existe procura sem atender à diferenciação de qualidade do produto no conjunto dos mercados e entre vários fornecedores ou marcas.

Uma commodity é um bem fungível, ou seja, é equivalente e trocável por outra igual independentemente de quem a produz, como por exemplo o petróleo, a resma de papel, o leite, o cobre e os imóveis.

Ontem abordei sobre a questão o advento do site chamado Processe Aqui, onde os internautas podem, por conta própria, elaborar petições para processar empresas sem precisar pagar por documentos, profissionais especializados ou pelas custas dos processos.

“Processe Aqui”: site oferece serviço que “substitui” o advogado em juizados especiais

Segundo a reportagem, o site é voltado para os processos de juizados especiais que pedem indenização de até 20 salários mínimos (R$ 14.480).

 A questão é que o “Processe Aqui” não é bem uma novidade neste mundo. Longe disto!

Nos Estados Unidos, a ABA - American Bar Association – ou seja, a OAB deles, tentou derrubar pela via judicial um primo do Processe Aqui, o LegalZoom, e não se deu muito bem…

De acordo com o Conjur, o LegalZoom foi fundado em 2001, oferecendo um modelo de negócio igual ao do Processe Aqui: a venda de petições de ações judiciais populares a preços módicos, exatamente como qualquer commodity.

Para vocês terem uma ideia, a LegalZoom faturou em 2012 cerca de US$ 200 milhões. É muita grana!

O Conjur mostrou qual seria o cerne da polêmica entre a ABA e o LegalZoom:

Hoje, a LegalZoom é a mais bem-sucedida fábrica de petições eletrônicas em massa, com uma pitada de “serviços jurídicos não autorizados” embutida no pacote. Essa “pitada” — ou uma pequena quantidade não definida claramente — de serviços jurídicos não autorizados é o que está no cerne das disputas entre os advogados e a empresa. Teoricamente, ela disponibiliza questionários que são respondidos pelos clientes. A equipe da empresa, formada por um “mix de advogados e não advogados”, revisa as respostas, faz correções e “avalia a consistência” do documento. Isto feito, o sistema gera a petição, que é impressa e assinada pelo cliente.

Porém, os serviços da empresa evoluíram ultimamente para “assessoria jurídica completa”, oferecida pela equipe mista de advogados e não advogados. Isso revela, para a comunidade jurídica, uma situação nebulosa: ninguém sabe exatamente o que a LegalZoom faz ou deixa de fazer. Por isso, o juiz que examina o caso na Carolina do Norte mandou fazer uma investigação para obter essa informação.

E lá, nos Estados Unidos, alguns advogados aparentemente entenderam que a realidade, definitivamente, mudou:

A diretora do Centro para a Profissão Jurídica da Universidade de Stanford, Deborah Rhode, diz que os advogados americanos já perderam o bonde — ou o trem: “O trem já deixou a estação e está viajando a todo o vapor”, disse ao Jornal da ABA. “O que podemos fazer, agora, é mudar seu curso. Isto é, regulamentar o que a LegalZoom — e outras tantas que já entraram no mercado, como a Rocket Lawyer, da Google — pode ou não pode fazer e, assim, impedir que promova a comoditização total da advocacia.

Eis a preocupação na terra do Tio Sam: impedir a comoditização total da advocacia, e não, meramente, impedir que a internet seja um meio de difusão indiscriminada de petições prontas e acabadas.

Soa como uma espécie de rendição diante da realidade.

E aqui no Brasil? O Processe Aqui gerou reações negativas entre os advogados, que se sentem, corretamente, preteridos em seu trabalho e o risco de perda de receita em razão de um sistema “faça você mesmo”.

Mas não para aí.

Existe, no Brasil, um outro processo de ”Comoditização” em curso: o excesso de advogados e bacharéis em Direito.

Os Estados Unidos, com uma economia muitas vezes maior do que a do Brasil, têm aproximadamente 400 mil advogados; nós, 860 mil.

Com uma faixa salarial em torno de R$ 1.200,00 para jovens advogados, pagamentos de diligências no valor de R$ 50,00 ou mesmo a criação e péssima remuneração do “advogado audiencista”, a situação não anda nada fácil.

O fundo do poço: a realidade de um mercado em que um advogado recebe R$ 20,00 para fazer uma audiência

Isso sem contar com as pressões para acabar com o Exame de Ordem ou criar a figura do paralegal.

Câmara regulamenta a profissão de paralegal para bacharéis em Direito. Texto vai para o Senado

O debate sobre o fim do Exame de Ordem deve voltar só em 2015

De um lado, a pressão tecnológica. Do outro, a pressão em função da explosão das faculdades caça-níqueis.

Cada vez mais a frase “advogar não é para os fracos” se faz mais verdadeira.

- Categoria: Estatísticas

Apenas 18,5% dos candidatos passam no Exame de Ordem em sua 1ª tentativa

2

Ano passado o G1 trouxe uma informação muito interessante sobre o desempenho dos candidatos no Exame de Ordem e o aproveitamento dos estudantes nesta prova.

Tão somente 18,5% dos candidatos que prestaram o Exame de Ordem entre 2010 e 2012 conseguiram passar na 1ª tentativa. Ou seja: ainda estavam na faculdade, ou saindo dela.

Resumindo, daqueles que irão fazer a prova pela 1ª vez, 81,5% reprovam.

É um percentual altíssimo!

A matéria continua, informando que no VIII Exame de cada 4 inscritos, 3 estavam fazendo a prova ao menos pela 2ª vez, ou seja, só 24,86% dos bacharéis iriam enfrentar para sua 1ª tentativa.

O trecho mais interessante da matéria é este daqui:

O levantamento da FGV Projetos mostra ainda que 212.498, ou 58,8% do total de bacharéis que fizeram inscrições pelo menos uma vez nessas oito edições, foram reprovados em todas as provas que realizaram. Há ainda um grupo de 5.475 que se inscreveram para todos os oito exames estudados, mas não passaram em nenhuma ocasião.

Dos 148.612 que conseguiram a aprovação, 101.558 passaram na primeira ou na segunda tentativa, e 21.619 precisaram fazer as provas três vezes antes de conseguirem o direito de exercer a profissão.

Outros 25.435 (7,04%) precisaram de pelo menos quatro tentativas para conseguir a aprovação. Dentro desse grupo estão 416 bachareis que fizeram todas as oito edições do exame analisada no cruzamento de dados, e conseguiram passar na última.

Resumindo: a maior parte dos candidatos inscritos no Exame de Ordem, ao menos no período apurado, já fez a prova ao menos uma vez.

Enfim, os dados mostram a faceta terrível do Exame da OAB: a da reprovação elevada em todos os segmentos de candidatos. Passar na prova é de fato um desafio, e passar de 1ª então, o maior deles.

Moral da história: a necessidade de se antecipar ao máximo o processo de preparação para a prova é inafastável. Não é quando sai o edital e nem 4 meses antes. Tem de ser mais, tem de dedicar mais tempo para não fazer parte dessas estatísticas tão sombrias.

No mínimo, como tempo específico voltado para a prova da OAB, os estudos devem começar 6 meses antes da prova.

E aqui devemos ressaltar o elemento custo.

Quanto custa, de verdade, reprovar na OAB? E não estou falando da necessidade de se pagar os 200 reais, estou falando do custo de tempo e de oportunidades perdidas.

Isso significa, ao fim, que é preciso implementar um planejamento sério e consistente para ser aprovado. Perder tempo com uma ou várias reprovações não é uma boa opção para ninguém.

Pensem nisso!

Com informações do G1.

- Categoria: Como se preparar para a prova

Novo Cronograma de Estudos para o XV Exame de Ordem

foto (1)

Segue um novo Cronograma de Estudos para o XV Exame de Ordem!

Estamos a menos de 3 meses da prova e um novo calendário precisou ser feito, mais atualizado. Concebi o cronograma projetando a data da futura prova para o dia 16 de novembro, data da prova objetiva do XV Exame.

O guia foi concebido com base o nosso Curso preparatório completo para a 1ª fase do XV Exame de Ordem, cujas gravações já começaram e as aulas já foram disponibilizadas.

Curso Preparatório Completo para o XV Exame de Ordem

Valor do investimento: R$ 750,59 (setecentos e cinquenta reais e cinquenta e nove centavos)

Lançado o Curso de Resolução de Questões para o XV Exame de Ordem

Valor promocional do investimento: R$ 240,73 (duzentos e quarenta reais e setenta e três centavos)

Como auxiliares na preparação indico os livros de Doutrina Completo e de Questões dos professores do Portal Exame de Ordem:

Portal Exame de Ordem – Doutrina Direcionada

Portal Exame de Ordem – Questões Comentadas da 1ª Fase

Pois bem! Ao olharem o cronograma, verão que ele está enxuto dentro do calendário. NÃO DÁ PARA PERDER TEMPO!!!

O arquivo pode ser distribuído livremente, ok?

Cliquem no link abaixo e baixem GRATUITAMENTE o nosso cronograma de estudos:

Cronograma de estudos para o XV Exame de Ordem

No guia vocês encontrarão o conteúdo programático a ser estudado, devidamente adaptado, dividido por matérias e dias da semana, tudo devidamente estruturado e com orientações sobre a metodologia de estudo.

Imprimam o PDF e usem-no como suporte para os seus estudos!

Lembrem-se: foco no objetivo!