Maurício Gieseler

Maurício Gieseler

Advogado em Brasília (DF), este blog é focado nas questões que envolvem o Exame Nacional da OAB, divulgando informações e matérias atualizadas, além de editoriais, artigos de opinião e manifestações que dizem respeito ao tema. Colocamos, também, a disposição de nossos visitantes provas, gabaritos, dicas, análises críticas, sugestões e orientações para quem pretende enfrentar o certame. Tudo sobre o Exame de Ordem você encontra aqui.

Fale com ele
- Categoria: Doutrina para a prova

Os livros da Coleção do Portal Exame de Ordem com frete grátis neste final de semana!

1

Os livros da Coleção Portal Exame de Ordem estão com frete GRÁTIS neste final de semana no site da Editora Armador!

Livros da Coleção Portal Exame de Ordem

Os livros foram elaborados pelos professores do Portal Exame de Ordem especialmente para quem deseja fazer bonito na prova objetiva!

Não percam essa oportunidade!

- Categoria: Cursos do Portal

Lançados o Projeto UTI 60 Horas (com transmissão ao vivo), Super UTI e o Combo UTI + Super UTI

fb (1)

Já foram lançados o Projeto UTI 60 Horas (que agora vai ser ao vivo), o Projeto Super UTI e o Combo UTI 60 horas mais Super UTI!

E quem adquirir o Projeto UTI 60 Horas ou o Combo UTI + Super UTI ganha o livro digital de 1000 dicas para a OAB +mais o curso de aprofundamento Pilares!

Uau!

E como funciona cada um desses cursos?

Projeto UTI 60 Horas (ao vivo!)

O Projeto UTI 60 Horas é um curso de dicas, muitas dicas para quem vai fazer a prova objetiva!

E agora a transmissão será AO VIVO! E, claro, quem quiser ver depois também poderá!

E qual é o valor do Projeto UTI 60 Horas para quem está se preparando para a prova? Aqui nós temos duas abordagens:

1 – O candidato já vem estudando regularmente mas quer as dicas, os macetes daquilo dos temas mais comuns ou com maiores probabilidades de serem cobrados, visando otimizar o desempenho;

2 – O candidato começou a se preparar agora e quer aumentar as chances de sucesso com as dicas oferecidas pelos professores.

São dois estágios diferentes de preparação, mas o objetivo acaba sendo praticamente o mesmo: otimizar o desempenho!

Projeto UTI, sem dúvida, é a resposta!

Seu objetivo é oferecer aproximadamente 60 horas de revisão através de DICAS fornecidas pelos maiores professores especialistas em Exame de Ordem no Brasil, abrangendo todas as disciplinas cobradas na prova objetiva. É um curso INTENSIVO de dicas e tem feito a diferença para muitos candidatos na hora da verdade!!!

Aliás, o Projeto virou referência entre os candidatos! TODO MUNDO quer fazer o tal projeto, e quer porque é público e notório entre os candidatos que as dicas são EFETIVAS!

Efetivas porque o grupo de professores do Portal ENTENDE do riscado, entende muito bem a lógica da banca e consegue acertar um número expressivo de temas abordados na prova.

Isso faz uma diferença DECISIVA para muitos dos nossos alunos!

Projeto Super UTI

O Super UTI tem a mesma matriz do Projeto UTI 60 Horas, ou seja: dicas e dicas para a OAB, mas sem ter a mesma extensão.

É um curso de dicas, MUITO INTENSIVO, e dura apenas um dia. É um modelo voltado também para dicas de relevância, rápido em sua duração (9 horas) que também assume o papel de empolgar o examinando na reta final.

Um carga rápida de dicas e de estímulos faltando uma semana para a prova.

Compensa muito porque o valor das dicas sempre é significativo. Sempre várias questões na prova podem ser respondidas pelos candidatos por lembrarem exatamente de algumas dicas certeiras passadas no Super UTI.

Quem quer acompanhar pela internet também pode fazê-lo - Super UTI Online

E quem mora em CUIABÁ/MT pode fazer o curso presencial - Super UTI Presencial

Combo do Projeto UTI 60 horas + Projeto Super UTI

E vocês também podem comprar os dois cursos, o UTI 60 horas e o Super UTI em um pacote combo, economizando desta forma.

É a melhor maneira de assistir esses dois cursos e não perder nada das dicas oferecidas pelos professores do Portal.

Combo do Projeto UTI 60 horas + Super UTI

BÔNUS

Na aquisição do Projeto UTI 60 Horas ou do Combo, vocês levam de graça o livro digital + de 1000 dicas para a OAB.

capa1000dicas_03c

E, além disto, leva também de graça o Curso Pilares da OAB, que ainda será disponibilizado!

Não tem para ninguém! Com tantas dicas vocês vão fazer bonito na próxima 1ª fase!

E lembrem-se: o Exame de Ordem acontece aqui!

- Categoria: Simulados

Confiram o 1º Simulado do Portal para a prova do XVII Exame de Ordem!

fb-simulado

Está no ar o nosso 1º simulado para a prova objetiva do XVII Exame de Ordem!

Lembrando que a prova objetiva será no dia 17/07!

1º Simulado para a prova do XVII Exame de Ordem

Ainda vamos lançar mais 2 simulados antes da 1ª fase para vocês traçarem o mapa das virtudes, deficiências e a EVOLUÇÃO do desempenho de agora até o dia da prova.

Não deixem de ler os posts abaixo:

Hoje teremos o 1º simulado do para a prova objetiva do XVII Exame da OAB! Qual sua importância?

87 dias para o XVII Exame de Ordem: está passando da hora de iniciar os estudos!

Novo Cronograma de Estudos para a 1ª fase do XVII Exame de Ordem

O gabarito será publicado às 15h!

Bom simulado!

- Categoria: Jurisprudência em Exame de Ordem

Se a OAB não anulava nada no Exame de Ordem, agora é que não vai anular MESMO!

2

Ontem foi um dia triste, mas muito triste para os examinandos.

Ontem foi o dia em que a administração pública ganhou seu “habeas corpus” para fazer o que bem entender nos concursos públicos.

E a OAB, por tabela, ganhou liberdade total para não anular nada em suas provas.

E o que foi que aconteceu?

O STF julgou o Recurso Extraordinário (RE) 632853, com Repercussão Geral reconhecida, e sedimentou o entendimento de que os critérios adotados por banca examinadora de concurso não podem ser revistos pelo Poder Judiciário.

Por maioria de votos, os ministros reafirmaram a jurisprudência do Tribunal, assim como da Justiça Federal, e assentaram que, apenas em casos de flagrante ilegalidade ou inconstitucionalidade, a Justiça poderá ingressar no mérito administrativo para rever critérios de correção e de avaliação impostos pela banca examinadora.

Para o relator do processo, o ministro Gilmar Mendes, a jurisprudência do STF é antiga no sentido de que o Poder Judiciário não poder realizar o controle jurisdicional sobre o mérito de questões de concurso público. O ministro destacou que a reserva de administração impede que o Judiciário substitua banca examinadora de concurso, por ser um espaço que não é suscetível de controle externo, a não ser nos casos de ilegalidade ou inconstitucionalidade. No entendimento do ministro, a jurisprudência do STF permite apenas que se verifique se o conteúdo das questões corresponde ao previsto no edital, sem entrar no mérito. Segundo ele, no caso dos autos, houve indevido ingresso do Judiciário na correção das provas.

Agora vamos para a parte curiosa da questão: A OAB participou do julgamento, acredito que na figura de amicus curiae, e não como parte.

Reparem na imagem abaixo:

1

E a foto do advogado que estava representando a OAB.

E qual seria o interesse da Ordem nisto?

Poucos atentam hoje a isto, mas antigamente, entre 2008 e 2010, brigávamos muito contra a Ordem por conta dessa questão de anulações. E eu publicava aqui tutoriais e mesmo um modelo de Mandado de Segurança para os candidatos (meu modelo de MS teve mais de 6 mil downloads) poderem lutar pelos seus direitos na Justiça.

O índice de sucesso nunca foi muito grande, mas como o processo de unificação estava em seu início, no começo muitos buscavam no Judiciário seus direitos.

Mas essa jurisprudência, que ontem ganhou finalmente grande força, além de já ser anteriormente aplicada em concursos públicos passou a ser usada também no Exame de Ordem.

Como na maioria dos casos a OAB vencia (esmagadora maioria, diga-se de passagem) a liberdade da Ordem em fazer o que bem entendesse passou a ser quase absoluta.

Por isso, EXATAMENTE por isso, que as questões mais absurdas não são anuladas. É porque simplesmente fica por isso mesmo, já que pouquíssimos conseguem sucesso pela via da Justiça.

Ontem, durante a sustentação oral, o advogado da OAB disse que a Ordem leva aproximadamente 500 processos nas costas por edição da prova, totalizando 1.500 ações por ano. No rol dos seus argumentos estava a ilação de que, caso a tese da administração pública fosse rechaçada, o Judiciário receberia uma avalanche de ações para cada concurso público e a Ordem sofreria ainda mais processos em função do Exame de Ordem.

Está aí, portanto, a raiz de todas as injustiças cometidas na prova: a certeza da OAB de que no Judiciário ninguém vai conseguir nada.

E agora, com a vitória desta tese em repercussão geral, não só no Exame de Ordem, mas também nos concursos públicos em geral a porta da Justiça foi fechada, exceto apra casos gritantes de inconstitucionalidade ou ilegalidade.

Corrigir critérios de correção das provas? Já era!

Mandados de Segurança, Ações Civis Públicas ou ações Ordinárias contra a banca, a partir de agora, terão 99% de chance de fracassarem.

Não sei como isto vai impactar na banca da OAB, mas é bem provável que ela fique ainda mais inflexível.

Ontem foi um triste dia para todos nós que buscamos um mínimo de Justiça na prova.

Com informações do STF.

- Categoria: Simulados

Hoje teremos o 1º simulado do para a prova objetiva do XVII Exame da OAB! Qual sua importância?

fb-simulado

Hoje, ao meio-dia, lançaremos o nosso 1º simulado para a 1ª fase do XVII Exame de Ordem.

O simulado virá na forma de um arquivo em PDF que qualquer um poderá baixar, sem pagar nada e sem cadastros. Nosso simulado é para todos e pode ser feito a qualquer momento.

E qual é a função de um simulado?

A resposta é simples: reproduzir as condições de um evento qualquer, visando treinar os interessados sob determinadas condições. No nosso caso, queremos treinar para a prova objetiva.

Logo, um simulado, levando em consideração as condições da prova objetiva da OAB, tem de ser feito sob os seguintes parâmetros:

1 – Isolamento. O candidato fará a prova sozinho, logo, se isolar do contato é condição sine qua non de um simulado. Sem isolamento você NÃO faz um simulado para a prova da OAB;

E a lógica é muito simples: o simulado não serve só para o candidato avaliar conhecimentos, serve também para treinar o emocional.

Sem medo de errar, o emocional no Exame é praticamente 50% do necessário para se conseguir a aprovação. É um verdadeiro clichê ouvir histórias de insucessos ligadas ao nervosismo e à ansiedade. Se preparar emocionalmente é FUNDAMENTAL para o sucesso.

2 – Concentração. Ao ficar sozinho o candidato poderá testar sua concentração. Aqui temos um ponto interessante. O ideal seria fazer o simulado em uma sala com demais candidatos, mas como no nosso caso isso não será possível, vocês terão de providenciar um espaço adequado. Como esse espaço não será igual ao de uma sala de prova, vocês poderão exercitar o foco e a concentração em um nível ACIMA das condições reais da prova. Perfeito para a gestão do emocional e do foco!

3 – Disciplina. Um simulado não é uma brincadeira e nem uma festa da interação. Não se permita distrações, não interaja com ninguém, não desvie o seu foco. Um simulado é para ser levado a sério e isso é muito importante.

Qual a importância de fazer um simulado faltando menos de 2 meses para a prova? Como resposta, poderíamos refletir sobre as informações que podem ser retiradas de um:

1 – Gestão do tempo durante a prova;

2 – Identificação de deficiências na aprendizagem;

3 – Gerenciamento do aspecto emocional.

A resolução de exercícios é um importante aspecto na preparação para provas e concursos públicos, pois permite revisar conceitos, expor deficiências e servir de treino para a hora da verdade. Falando nisso, acessem as provas dos Exames passados – Provas Anteriores

1 – Gestão do tempo durante a prova

Tempo é segurança! Talvez essa seja a premissa básica quando se fala no tempo de prova. O candidato tem de ter a convicção de que as 5 horas serão suficientes não só para responder todas as perguntas como também para preencher a folha de resposta.

Quem fará a prova pela primeira vez provavelmente não sabe, mas 5 horas passam voando. Claro que a percepção é derivada de um estado de alerta, de tensão, afinal, o tempo corre de forma uniforme, mas a impressão é que durante a prova ele passa mais rápido…muito mais rápido!

Geralmente, após a prova, muitos candidatos relatam uma espécie de percepção alterada do tempo. Como as provas são extensas e o volume de informação costuma ser grande comparado ao tempo disponibilizado, a impressão era a de um tempo “distorcido”, “curto” demais para a tarefa apresentada.

Dependendo do grau de dificuldade da prova objetiva, essa percepção se manifestará com maior ou menor intensidade.

De toda forma, o simulado permite que o candidato estude o gerenciamento do seu tempo e sua capacidade em responder todas as perguntas. O estado psicológico será diferente, por certo, mas o aprendizado resultante da simulação ajuda no processo de realização da prova, porquanto o processo em si não será totalmente estranho ao candidato.

O soldado antes de ir à guerra, treina, o motorista antes de tirar a carteira, treina, a bailarina antes de se apresentar também treina, e o futuro advogado também deve treinar.

2 – Identificação de deficiências na aprendizagem

Esse, por certo, é o papel mais relevante ao se estudar por provas anteriores, e, no presente momento, na submissão ao simulado. Certamente o candidato não responderá todas as perguntas. Essa percepção é útil para identificar em quais disciplinas estão as maiores limitações no conhecimento.

O erro também faz parte do processo de aprendizagem – com ele o candidato estabelece seu processo de cognição, sedimentando melhor o conhecimento a ser exigido na hora da verdade, pois o erro permite a compreensão de limitações no conhecimento e, por corolário lógico, a supressão de lacunas.

Faltando menos de 2 meses para a prova o candidato poderá identificar em quais disciplinas seu desempenho não é bom (ou reforçar uma percepção anterior) e delimitar melhor seu campo de estudo.

3 – Gerenciamento do aspecto emocional

Eu não tenho dúvidas que o aspecto emocional do candidato é decisivo na sua aprovação. Já li uma infinidade de depoimentos de candidatos que sucumbem às próprias emoções durante a aplicação da prova.

Aliás, já foram centenas de depoimentos retratando a descrença em função de sucessivos fracassos, muitos deles estreitamente relacionados com o nervosismo.

Acredito na ideia de que a segurança ao se fazer uma prova deve ser resultado da certeza de que se está bem preparado.

Simplesmente não existe fórmula mágica para se ficar calmo: O ser humano que está apto a enfrentar situações específicas com calma, onde outros ficariam nervosos, ou não tem nada a perder ou já está escolado pela experiência.

Quem faz o Exame de Ordem pela 1ª vez, ou já fez 2 ou 3 vezes,  é pouco para ficar 100% calmo, e virtualmente todos têm muito em jogo nessa hora; afinal, aprovar é preciso!!

Quem estudou e tem a consciência de que sabe, nada poderá atrapalhá-lo. Por outro lado, o candidato que pontua sempre na zona limítrofe de aprovação pode se sentir mais seguro se souber onde estão suas fraquezas e tomar providências para minimizá-las, adquirindo mais tranquilidade. E, para ambas as hipóteses, o simulado vem como uma boa ajuda.

De toda forma, não subestimem o aspecto emocional. Treinar no conforto de casa ou no cursinho é uma coisa; e na hora da verdade, outra completamente diferente.

Simulem como se fosse a hora da verdade! Criem um clima, tranquem a porta do quarto, usem exatas 5 horas para resolver a prova.

Opa…

NÃO USEM 5 horas para fazer o simulado!!!

Usem 4 horas e 20 minutos! Deixem 40 minutos para simular (só no tempo, e não de verdade) a passagem das questões para o caderno de resposta.

Lembrem-se: o desafio é feito de papel e tinta. Problemas criados por uma mente que deliberadamente está desafiando o intelecto de cada um. Nada além disso. A chave para tudo está na cabeça.

Logo, treinem para não se impressionarem com nada, e o treino pode começar ou ter continuidade em um simulado.

——–

É bom relembrar! Todos os interessados poderão fazer o simulado de graça, sem cadastros e sem firulas!

Ao meio-dia, simulado do Portal Exame de Ordem!

- Categoria: Doutrina para a prova

A importância de ir para a 2ª fase com um vade mecum atualizado

Botem uma coisa na cabeça: material para a 2ª fase do Exame de Ordem tem ser ATUALIZADO ao máximo, independentemente de qualquer outra circunstância.

O examinador é livre para utilizar toda e qualquer norma que tenha entrado em vigor antes da publicação do edital, e, caso eventual norma venha a ser cobrada na prova e o material não for o mais atualizado, o prejuízo é CERTO!

Certo e incontornável!

Isso sem contar com as novas súmulas de jurisprudência e OJ’s que sempre são renovadas no âmbito dos Tribunais Superiores e que também são passíveis de cobrança na 2ª fase.

Vejam o vade abaixo:

9a429b1a7069554fea43d1804fd32daf

Foi o primeiro vade da Editora Armador, de julho do ano passado, ou seja, em 2014. Este vade já não serve mais para o Exame de Ordem, por uma razão bem simples: está 6 meses desatualizado!

Infelizmente a velocidade da produção legislativa no Brasil acaba com a validade dos códigos em uma velocidade absurda, de apenas poucos meses. Se for para trabalhar normalmente, dá para ter um código por até um ano, mas para o Exame de Ordem, não.

Assumir o risco de perder alguns poucos décimos ou mesmo, quem sabe, uma questão inteira, não faz o menor sentido, só por conta de um código desatualizado.

Agora vejam este outro vade, específico para Direito Administrativo:

vm-ADMINISTRATIVO_miniatura_A

 Vade Mecum de Direito Administrativo do professor Matheus Carvalho – Atualizado em 23/01/2015

A atualização dele, como a de outros vades do mercado, foi concluída no dia da publicação do edital do XVI Exame de Ordem, ou seja, não tem como alguma recente inovação legislativa ser cobrada na prova que possa vir a surpreender seu usuário.

Há, inclusive, norma expressa no edital quanto a isto:

2

Candidato nenhum deve assumir o risco de ir para a prova com material desatualizado, sob pena de, talvez, perder décimos que podem fazer a diferença entre ser aprovado….ou não.

A questão é simples: é tão difícil ir para a 2ª fase que não compensa correr esse risco.

- Categoria: Debate sobre a legitimidade do Exame de Ordem

Fim do exame da OAB: golpe contra o Direito

Segue um texto que começou a circular hoje nas redes sociais de autoria do Dr. Vanilo de Carvalho, Diretor executivo da Escola Superior de Advocacia da OAB/CE, escreveu sobre o fim do Exame de Ordem.

Interessante observar a linguagem forte e direta do Dr. Vanilo, que com poucas palavras deu seu recado.

Confiram:

2

O exame da OAB está na mira do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). É de autoria dele o projeto de lei 7.116/2014, que pretende extinguir a prova, tão temida por muitos bacharéis em Direito. No seu site e nas redes sociais, o parlamentar, no estilo fanfarrão que lhe é peculiar, é explícito em suas intenções, quando fala em acabar o “absurdo, nefasto e corrupto exame da OAB”, chamando a instituição, reconhecida como um dos pilares de democracia brasileira, de “cartório corporativista” e “antro de corrupção”.

Assim como outras infelizes iniciativas de Cunha – como a aprovação do PL das terceirizações – o projeto é lamentável em todos os aspectos. Para quem não sabe, para ter inscrição na OAB e poder advogar, é necessário, além do certificado de conclusão de curso de Direito, ser aprovado no exame de Ordem. A prova pretende atestar se o recém-formado reúne condições básicas para exercer a profissão. É uma forma eficaz de mensurar a qualidade dos egressos dos cursos de Direito.

Esta necessidade surge a partir de um problema grave: a expansão desenfreada de faculdades de Direito em todo país, como parte de uma estratégia do governo brasileiro de ampliar o acesso da população ao ensino superior. Para se ter uma ideia, em 1995 havia 165 cursos de Direito no Brasil. Em 2014 eram 1.284, um aumento de 778,18%. São Paulo tem mais faculdades de Direito (300) que os EUA (212). Ficando difícil para o MEC fiscalizar tal contingente.

Estamos quase lá! Brasil a um passo de atingir a gloriosa marca de 1300 faculdades de Direito!

O exame de Ordem é um real e sério instrumento em defesa dos direitos do cidadão. Ele vai muito além dos questionamentos da própria classe. O patrimônio, a liberdade e a honra de cada cidadão devem ser defendidos por profissionais que tenham segurança no conhecimento jurídico que vai ser aplicado em cada caso concreto e definir o direito de cada indivíduo.

É imprescindível, portanto, um filtro qualitativo como o exame de Ordem. A revolta de alguns contra sua existência se dá talvez pelo diminuto percentual de aprovados. No Ceará – que detém um dos maiores índices de aprovação do país – a média é de 15%. Mas o exame de Ordem não tem o objetivo de impedir o exercício da profissão, mas sim, o de legitimar o conhecimento dos bacharéis e contribuir com a seriedade da história honrosa de comprometimento da profissão.

Não é possível conceber a colocação de advogados despreparados no mercado. Seria, antes de tudo, uma falta de respeito com os cidadãos que necessitam deste tipo de serviço e, principalmente, com todas as instituições do Judiciário brasileiro, que já acusam lentidão por conta de uma enxurrada de processos. Espera-se que o Congresso não leve adiante outra sandice do senhor Cunha. Seria um golpe de morte contra o bom Direito.

Fonte: OAB/CE

- Categoria: Promoções

Promoção “Curta, Comente e Siga” o Instagram do CERS! Até 40% de desconto nos cursos do Portal e do CERS!

2

Um mágico chegou ao @Cers trazendo DESCONTOS PARA TODOS OS CURSOS!

Para isto, o mágico precisará do maior número possível de pessoas reunidas no Instagram do CERS – @Cers - para os níveis de desconto serem ativados!

Vamos juntos nesta convocação?

Nós teremos até às 23h59 deste domingo (26) para juntar o máximo seguidores no @Cers. Os descontos serão progressivos dependendo da quantidade de novos seguidores:

60 mil seguidores = 10% de desconto
80 mil seguidores = 20% de desconto
100 mil seguidores = 30% de desconto
150 mil seguidores = 40% de desconto

A mágica será ativada na segunda-feira (27) às 00:00. Então não percam tempo e marquem os seus amigos!

Vejam os cursos de 1ª fase do Portal que estão nesta promoção:

Por que fazer o curso de Resolução de Questões do Portal Exame de Ordem

Curso completo para a 1ª fase do XVII Exame de Ordem!

Estão também os cursos de 2ª fase:

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito do Trabalho

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Penal

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Administrativo

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Constitucional

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Civil

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Empresarial

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Tributário

Entrem também no site do CERS para verem outros cursos!

www.cers.com.br

A promoção não é válida para a Pós-Graduação e Livros Digitais.

Participem!!

- Categoria: Como se preparar para a prova

87 dias para o XVII Exame de Ordem: está passando da hora de iniciar os estudos!

Faltam exatos 87 dias para a prova objetiva do XVII Exame de Ordem, que será no dia 19 de julho.

Ou seja, faltam 2 meses e 3 semanas para a data delimitada. É um prazo razoável para iniciar os estudos, mas já não é um momento ideal.

Confiram o calendário:

1

E por que não?

Tempo é o elemento-chave dentro do processo de preparação, e quanto antes os estudos forem iniciados, maiores as chances de aprovação, pois o candidato pode esgotar todo o conteúdo programático, resolver muitas questões e fazer, de forma adequada, suas revisões com fito de fixar na memória o conteúdo.

Faltando apenas 2 meses e 3 semanas a dificuldade em se estabelecer esse processo, em especial com o propósito de esgotar o conteúdo, fica mais difícil.

Novo Cronograma de Estudos para a 1ª fase do XVII Exame de Ordem

Um atraso de mais 2 semanas, aproximadamente, já começa a inviabilizar o estudo de todo o conteúdo. A partir daí o candidato terá de priorizar algumas disciplinas em detrimento de outras, reduzindo em parte a margem de chances de ser aprovado.

Não existe nenhuma razão de ordem prática ou funcional que impeça os examinandos de iniciarem os estudos a partir de agora. E, em regra, quem demora a estabelecer o início dos estudos, crendo que “ainda terá tempo”, pode estar sendo vítima da PROCRASTINAÇÃO.

Quais são os principais fatores que levam à procrastinação?

falta de tempo, impulsividade (deixamos algo de lado para fazer outra atividade), falta de energia, medos, autossabotagem e preguiça. Além disso, o ato de adiar pode estar relacionado à busca pela perfeição, já que pessoas com essa característica tendem a preferir tarefas desafiadoras e evitam as mais simples.”

Aconselho muito a leitura: Vencendo a procrastinação nos estudos

É de extrema importância NÃO ACHAR que depois vai dar tempo de estudar tudo! Não dá! Postergar o início dos estudos é uma grande armadilha!

Neste momento, a grande pergunta para quem quer começar a estudar é: por onde começar?

Vamos ao 1º passoComo é o perfil hoje do Exame de Ordem

Observem o gráfico abaixo. Ele faz parte de um recente estudo publicado pela FGV sobre as estatísticas do Exame de Ordem entre o I e o recente XIII Exames.

Atentem ao percentual médio final de aprovação dessas edições, circulado em vermelho:

Sem título

Na média, portanto, apenas 17,5% dos candidato são aprovados. É uma estatística nada animadora, infelizmente, mas é a verdade nua e crua dos números da prova.

Isso sem falar no que foi a última prova objetiva:

Sua reprovação na prova do domingo não é resultado do acaso: ela foi friamente planejada!

A (única) razão pela qual a OAB tem de anular questões da última prova objetiva

Neste momento sempre vem a pergunta: a próxima 1ª fase vai ser fácil, aprovando muitos candidatos, ou vai ser difícil, derrubando geral os examinandos?

Quem pode saber?

A perspectiva, no fundo, tem de ser vista de forma global. Às vezes uma prova da 1ª fase aprova muitos candidatos, como a prova do XV Exame; noutras, aprova quase ninguém, como ocorreu no IX Exame.

Isso sem considerar o aumento do grau de dificuldade da prova em si, seguindo o aumento do preparo dos candidatos, tal como tratei ontem aqui no Blog: Exclusivo: e se eu dissesse que a 1ª fase do XVI Exame de Ordem não foi a pior de todos os tempos?

Essas variações no grau de aprovação do Exame, entre recordes de aprovação e reprovação confundem o candidato e não permitem que se estabeleçam balizas de preparo. Ou a prova da 1ª fase vem razoável ou ela vem botando pra quebrar!

E, ao fim, para manter sempre o percentual final, estabelece-se uma espécie de “equilíbrio” com aprova da 2ª fase, que também vem mais ou menos difícil de acordo com o contexto estabelecido na 1ª prova.

Moral da história:

1) a hora de passar é AGORA! Quanto mais o candidato demora, mais mudanças na prova podem ocorrer, tal como o advento, para 2016, do novo CPC ou a perspectiva do aumento de disciplinas no Exame ou mesmo o puro e simples aumento do grau de dificuldade da prova.

Por que fazer o curso de Resolução de Questões do Portal Exame de Ordem

Curso completo para a 1ª fase do XVII Exame de Ordem!

2) o candidato SEMPRE tem de se preparar para o pior, pois a inconstância só lhe permite projetar, exatamente, o pior cenário.

E o que é se preparar para “o pior”?

Simples: estudar com muito afinco e dedicação! Montar um cronograma de estudos, ter disciplina, adotar uma estratégia de preparação e investir nela.

Vamos ao 2º passo! O que eu preciso saber?

Bom, já temos a consciência das dificuldades e das incertezas. Essa é a realidade da prova.

E a sua realidade?

Cansei, a ainda canso, de ver candidatos indignados coma reprovação: “mas eu fui um aluno tão bom, tirava notas tão altas…”

Pois é! Bem-vindos ao mundinho do Exame de Ordem! Suas notas da faculdade aqui não servem de nada!

A prova da OAB tem suas peculiaridades, sua metodologia e características. É bem verdade que muitas provas hoje aplicadas nas graduações repetem o modelo da prova da OAB. O ensino jurídico como um todo tem buscado antecipar o “espírito” da prova da OAB ainda na academia.

Mas não contam com a constante evolução do grau de dificuldade do Exame.

Pois bem! O importante, antes de tomar qualquer decisão, é determinar o desempenho de vocês na prova.

E esse é o momento para tomar um susto!

Eu me lembro que fiz isso quando passei a 1ª vez na OAB. Resolvi fazer uma prova antiga só para ver como eu estava. Consegui, se não me engano, 23 pontos. E 23 pontos entre os 50 necessários e não os atuais 40.

Fiquei arrasado!

Senti-me como se fosse uma toupeira. E isso há 3 meses da prova! Meti a cara nos livros e gradualmente fui melhorando meu desempenho. Na hora da verdade eu consegui passar.

Esse é o ponto: o candidato precisa saber a extensão do seu DESPREPARO para a específica prova da OAB.

O candidato precisa tomar um susto, ver o tamanho REAL do desafio e entender que o Exame de Ordem é o Exame de Ordem.

Cliquem nos links abaixo e façam o download das provas do IX, XI, XII e XVI Exames e seus respectivos gabaritos:

IX Exame – Prova

IX Exame – Gabarito

XII Exame – Prova

XII Exame – Gabarito

XVI Exame – Prova

XVI Exame – Gabarito

Logo a desses três Exames? Sim, se o candidato deve se preparar para o pior, a referência inicial tem de ser a mais complicada possível. E essas 3 provas foram bem difíceis, em especial as provas do IX e XVI Exames. Mas tenham em mente de que o resultado, por pior que seja, não deve desanimá-los. É só um start para o candidato sentir a necessidade de estudar muito e uma baliza quanto ao que há de pior no Exame.

Peguem as provas, resolvam ela do jeitinho que vocês estão e façam a contabilidade dos pontos.

Aqui começa o Exame de Ordem! Sem máscaras, confetes ou ilusões.

Apenas não permitam que o ego seja maltratado com um eventual e provável desempenho ruim. Ir mal nessa análise é algo normal.

Lembrem-se: o objetivo aqui não é só descobrir o tamanho do despreparo. Isso se resolve de várias formas. O objetivo mais importante é despertar a vontade de estudar, e estudar com AFINCO!

Ir mal nessa avaliação é uma coisa boa. Porque se você não se impressionar com um provável desempenho ruim, não haverá força nenhuma no mundo que te obrigue a estudar intensamente para a próxima prova objetiva.