Maurício Gieseler

Maurício Gieseler

Advogado em Brasília (DF), este blog é focado nas questões que envolvem o Exame Nacional da OAB, divulgando informações e matérias atualizadas, além de editoriais, artigos de opinião e manifestações que dizem respeito ao tema. Colocamos, também, a disposição de nossos visitantes provas, gabaritos, dicas, análises críticas, sugestões e orientações para quem pretende enfrentar o certame. Tudo sobre o Exame de Ordem você encontra aqui.

Fale com ele
- Categoria: Como se preparar para a prova

Guia de preparação e cronograma de estudos para o XIV Exame de Ordem

10153000_545302835587941_9047909997163408503_n

Muito bem jovens! O tempo não para, a prova da OAB continua sendo a pedreira de sempre e vocês precisam colocar no bolso a carteirinha.

Agora, mais do que nunca, é o momento de iniciar a preparação visando a próxima 1ª fase podendo ESGOTAR integralmente todo o conteúdo programático da prova. Mais duas ou três semanas isso se tornará uma tarefa bem mais complexa, porque vai demandar muito mais horas em um dia para todo o volume de estudos ser devidamente esgotado e apreendido.

O fator TEMPO  é chave neste processo!

Concebi o cronograma projetando a data da futura prova para o dia 3 de agosto, data da próxima prova objetiva.

O guia foi concebido com base o nosso Curso preparatório completo para a 1ª fase do XIV Exame de Ordem, cujas gravações estão bem adiantadas!

Curso Preparatório Completo para o XIV Exame de Ordem

Valor promocional do investimento: 750,54 (setecentos e cinquenta reais e cinquenta e quatro centavos)

Pois bem! Ao olharem o cronograma, verão que ele está enxuto dentro do calendário. NÃO DÁ PARA PERDER TEMPO!!!

Vocês têm de começar a estudar no máximo a partir da semana que vem para não deixar as matérias acumularem e terem o domínio sobre o volume de conteúdo a ser estudado. Isso é muito importante!

O arquivo pode ser distribuído livremente, ok?

Cliquem no link abaixo e baixem GRATUITAMENTE o nosso guia de estudos:

Guia de preparação e cronograma de estudos para o XIV Exame de Ordem

No guia vocês encontrarão o conteúdo programático a ser estudado, devidamente adaptado, dividido por matérias e dias da semana, tudo devidamente estruturado e com orientações sobre a metodologia de estudo.

Imprimam o PDF e usem-no como suporte para os seus estudos!

Lembrem-se: foco no objetivo!

- Categoria: Humor

Cotas no Exame de Ordem? Essa informação não procede…

Vários examinandos me perguntaram agora pela manhã se a informação sobre a criação de cotas para o Exame de Ordem seria verdadeira.

O site “Não Entendo Direito” publicou essa informação, tal como vocês podem conferir no link a seguir:

Exame de Ordem passará a ter cotas para a aprovação de negros e alunos do PROUNI.

Acontece que o “Não Entendo Direito” é um site de humor, tal como aqueles que publicam uma informação como se ela fosse verdadeira.

O pessoal não reparou a categoria em que a publicação foi enquadrada:

3

Embuste significa engodo, trapaça, simulação. A grande maioria não percebeu este detalhe. Até onde vi, a publicação recebeu mais 2.2 mil compartilhamentos no Facebook.

Ou seja: o pessoal do “Não Entendo Direito” enganou geral por aí.

No mais, não faz sentido criar cotas para o Exame de Ordem pois se trata apenas de uma avaliação de proficiência e não de um concurso.

- Categoria: Como se preparar para a prova

Pequeno roteiro de estudos e os pontos-chaves de preparação para a 2ª fase da OAB

01

Muito bem jovens! Boa parte dos candidatos estão dando início ao processo de preparação após a aprovação na 1ª fase do Exame de Ordem. Agora a realidade é outra! A fase do marcar o X ficou no passado. Na prova subjetiva há a declinação dos argumentos, obrigando o candidato a deixar tangível a marca de seu raciocínio e por ele ser avaliado.

Aqui é preciso não só entender, mas também se fazer entender, e, mais do que isso, convencer.

Convencer representa a aprovação final. Convencer é a meta do candidato: mostrar que está pronto para ser um profissional da advocacia, apto a pensar o Direito e responder, em tese, aos problemas do cotidiano, sabendo conduzir as questões que lhe são levadas até o seu termo jurídico final.

E mais do que convencer em si mesmo, o candidato precisa fazê-lo aproveitando cada minuto da prova, cada instante, pois o volume de informações cobradas nas últimas provas (exceto a última) praticamente sufocou os candidatos: qualquer vacilo implicou em substancial perda de tempo e, consequentemente, em perda de pontos.

O que é necessário saber para vencer este desafio?

Podemos dizer que a prova da OAB possui 5 pilares cruciais para ser bem resolvida.

Vejamos um por um:

1 – Montar um roteiro de estudos

Primeiro é fundamental estruturar o tempo de estudos até o dia da prova. A importância de seguir um roteiro está em dar um foco ao que tem de ser estudado sem desperdício  de tempo ou dispersões quanto ao estudo em si.

O candidato precisa ter a ciência de que está no rumo certo, e montar uma grade de estudos é bastante recomendável.

A montagem da grade, evidentemente, depende de cada um, mas aqui declino um pequeno cronograma com o que há de fundamental a ser estudado e na devida ordem.

Evidentemente tal cronograma não é rígido. Se o candidato deseja estruturar de outra forma, é livre para fazê-lo.

Vejamos a minha sugestão. Notem que é uma sugestão ABERTA.

Semana de 20/04 a 26/04 – Estude os tipos de petições possíveis, fundamentos legais, estrutura e hipóteses de incidência. Aqui devem ser sedimentados a parte processual do Direito escolhido, com o estudo de doutrina específica. Como vocês verão mais abaixo, a peça é a parte mais importante da prova, e começar a dominar a processualística em primeiro lugar faz todo o sentido.

Semana de 27/04 a 03/05 – Inicie os estudos do Direito material da respectiva disciplina. Leitura de doutrina específica é fundamental de forma complementar ao cursos preparatório escolhido.

Semana de 04/05 a 10/05 – Início da resolução de exercícios e simulados, conjuntamente com o reforço tanto do Direito material como o processual, além do estudo da jusrisprudência. O momento agora é de compreensão do ramo do Direito escolhido.

Semana de 11/05 a 17/05 – Período de consolidação. Aqui o candidato já deve estar seguro quanto cabimento das peças e ao Direito material aplicável ante os problemas fáticos a serem apresentados. Hora de treinar a redação, estruturação de parágrafos de forma dedutiva, com clareza e concisão, treinamento da montagem dos esqueletos de peças e resolução de todas as provas passadas, em especial a da FGV com o estabelecimento da gestão do tempo. Compreensão plena da lógica da prova.

Semana de 18/05 a 31/05 – Período de ajustes. Observem a amplitude do lapso temporal até o dia da prova. Serão 2 semanas. Esse intervalo de tempo restante poderá ter duas finalidades:

1 – Elastecimento dos períodos semanais até a conclusão do processo específico de estudo. Aqui o candidato pode REGULAR sua programação e estudar em conformidade com seu ritmo de estudos sem apertar a agenda.

2 – Os candidatos que ainda não começaram os estudos em razão da espera pelo resultado preliminar a da perspectiva de anuladas, ou não, poderão esperar, no máximo, até o dia 8, depois terão de decidir. Esperar pelo resultado final da 1ª fase é inviável.

Lembrem-se que o roteiro acima está desvinculado de eventual estudo oriundo de um curso preparatório. Fazer um curso é condição essencial para a aprovação.

Vamos agora aos pilares da prova em si:

2 – Identificar a peça prática

No XII Exame de Ordem a OAB implementou uma mudança muito significativa no edital. Até então 0 edital indicava o conceito de peça inadequada e delimitava suas características, que eram as seguintes: peças as que pudessem ser indeferidas por inépcia, em especial quando se tratavam de ritos procedimentais distintos ou que não se pudesse aplicar, no caso dos recursos, o princípio da fungibilidade.

Evidentemente, se uma peça era escolhida por um candidato mas não se enquadrasse nesse conceito, ele se sentia no direito de ter sua resposta analisada pela banca.

Um exemplo mais do que recente: a questão da imissão de posse na prova de Direito Civil do XI. De acordo com o edital, a imissão, diante do quadro narrado para a peça, era cabível, não se aplicando portanto a regra atual.

Ou seja, havia margem para debates. Vejam como era a redação até a edição passada.

1

Mas então a OAB inovou. Vejam só a nova regra do edital:

02

A OAB, com isto, sepultou a margem para questionamentos em relação ao cabimento das peças. O item 4.2.6 foi dramaticamente alterado e o item 4.2.6.1 é apresentado como inovação, pois não existia antes.

Resumindo: a peça inadequada agora é toda aquela que não for, estritamente, a peça apontada pela OAB como a correta quando da publicação do padrão de resposta, não existindo mais a margem para o cabimento de peças que não representariam a inépcia da inicial ou coubesse a fungibilidade no caso de recursos.

A peça certa é aquela escolhida pela OAB!

E essa interpretação é reforçada exatamente pelo item 4.2.6.1, que, como inovação, agora indica COMO a peça processual certa é averiguada: “A indicação correta da peça prática é verificada no nomem iuris da peça concomitantemente com o correto e completo fundamento legal usado para justificar tecnicamente a escolha feita.”

Não basta mais dizer que peça vocês estão apresentando! É preciso, e de forma correta e completa, apontar o fundamento da peça.

Em suma: acertar a peça prática é, na prova subjetiva da OAB, o alvo prioritário do candidato.

O erro representa a reprovação!

Se o candidato para ser aprovado precisa fazer no mínimo 6 pontos, e, se a peça prático-profissional vale por si só 5 pontos, tirar zero irremediavelmente resultará na reprovação.

Isso acontece, não é lenda e todos vocês precisam estar preparados.

Um fato: falhas ocorrem e candidatos tomam zero por conta delas. E por mais que a OAB e a FGV ganhem experiência ao longo da aplicação das provas, as falhas sempre voltam a acontecer.

É uma desgraça…

Enfim, acertar a peça prática correta para o problema proposto é a primeira providência quando se começa a prova. Ter a convicção de que acertou a peça é fundamental para dar tranquilidade ao candidato.

Toda prova, de qualquer área, apresentará aos candidatos um problema, um caso hipotético que requer a redação de uma peça jurídica adequada à solução do problema.

Entender o problema é o primeiro passo. A partir dele o candidato deve formular e responder as seguintes perguntas:

a) Já existe um processo em andamento ou não?

Caso o problema faça menção a uma ação que já foi proposta, ou que a parte tenha entrado com uma inicial, ou o juiz sentenciado, pronunciado ou despachado, o candidato terá de apresentar um recurso, uma contestação ou uma réplica.

Caso o problema faça menção a um acontecimento qualquer, e você, ao final seja contactado pela parte envolvida neste acontecimento, e, não existir nenhuma referência a um processo em andamento, certamente a solução envolverá a apresentação de uma petição inicial de uma ação em específico.

b) Qual ação ou qual recurso?

Vai depender sempre do problema e da hipótese fática apresentada.

O candidato precisa entender a lógica do problema proposto, o direito material envolvido, a natureza das partes e o momento processual em tela.

Seria o caso de um Mandado de Segurança ou de uma Ação Ordinária? Recurso Especial ou Extraordinário? Ação declaratória cumulada ou não com repetição de indébito?

Em suma, o candidato precisa ENTENDER o problema. Ler o enunciado ao menos 3 vezes, com calma, fazer pequenas anotações (Sempre, sempre e sempre deve anotar somente no rascunho e nunca na folha de resposta), estabelecer com precisão as circunstâncias, processuais ou não, para ao fim apresentar a solução correta ao problema proposto.

Aqui começa de verdade a prova, e aqui é definida a aprovação…ou não.

3 – A solução está no problema, e não fora dele

Não imaginem uma solução para o problema que esteja fora do enunciado. Caso claríssimo: a última prova de Direito Constitucional! A resposta correta era a ação ordinária, mas muitos candidatos apresentaram um MS por ser esta a resposta mais célere para o problema proposto. Entretanto, o enunciado continha uma série de elementos que excluíam o MS.

Eis o ponto: o enunciado é um problema hipotético e a solução tem de ser retirada do problema apresentado, e não uma mera projeção do que seria melhor no mundo real. Conseguiram a aceitação do MS por conta de muita pressão, e a OAB, acabou cedendo.

Cedeu naquela oportunidade, mas não quer dizer que cederá novamente.

Ficar atento ao problema e imaginar uma solução dentro dele é fundamental! O problema é HIPOTÉTICO, e a solução também é. Esqueçam o que seria melhor no mundo real: tem de ser o melhor para o problema em si!

Trata-se, obviamente, de uma prova, e como tal deve ser pensada.

4 – Saber fazer a peça

Saber fazer a peça se confunde, e muito, com a questão de identificá-la como solução adequada ao problema.

Se confunde tanto que representa a outra face da mesma moeda.

E aqui, como em qualquer outro aspecto do Exame, o candidato precisa estar preparado.

Ou seja, a solução para tudo é uma só: preparar-se adequadamente.

E isso custa dinheiro…

Mas tudo orbita em torno da lógica simples do custo-benefício: Gastar em cursos e livros é mais caro ou mais barato do que conseguir a carteira?

Se você acha que obter a carteira quase não tem preço, eu dou as seguintes dicas de preparação.

A primeira é: raros são os candidatos que não se preparam para a 2ª fase ou comprando alguma obra ou fazendo algum curso. Isso é importante, importantíssimo. Investimento agora, de verdade, não tem preço.

Primeiramente escolha um curso preparatório de 2ª fase que seja de sua confiança ou que muitas pessoas tenham falado bem. Existem cursos de todos os tipos, em todos os lugares: Presenciais, telepresenciais e pela internet.

É engraçado porque TODOS dizem que aprovam mais e que são os melhores. Naturalmente nem todos são os melhores e nem todos podem aprovar mais do que os demais: a conta não fecha.

E aqui, evidentemente, não posso deixar de falar dos cursos preparatórios do Portal Exame de Ordem.

2ª fase em todas as disciplinas - 1ª aula grátis!

O nosso aluno pode fazer seu próprio horário de estudo e ver cada aula até 2 vezes no momento que achar mais adequado. E toda as nossas aulas são ONLINE:

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito do Trabalho, com Renato Saraiva, Aryanna Manfredini e Rafael Tonassi

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Penal, com Geovane Moraes e Ana Cristina Mendonça

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Administrativo, com Matheus Carvalho

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Civil, com a equipe coordenada por Cristiano Sobral

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Constitucional, com Flávia Bahia

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Tributário, com Josiane Minardi

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Empresarial, com Francisco Penante

Mas isso, antes de tudo, é uma SUGESTÃO!!! Confiança não se ganha no grito!! Façam uma pesquisa antes, consultem colegas ou candidatos de Exames passados para ajudar nesse processo de decisão. Os cursos de um modo geral não são baratos (os bons cursos nunca são) e a escolha deve ser feita de forma racional e não meramente emotiva.

foto (2)

4 – Conhecer o Direito Material

O que escrevi acima tem maior correlação com o Direito Processual. Aqui, é preciso se preparar para o Direito Material.

Claro que, se o candidato fez a opção por uma área de concentração em específico, é porque tem afinidade com ela, e, mais do que isso, conhece relativamente bem a doutrina correlata.

Nesse campo eu poderia escrever um post imenso sobre obras para cada disciplina, mas esse não é o propósito. O importante é ressaltar o fato de que a própria peça prática exigirá, como não poderia deixar de ser, conhecimentos do Direito Material escolhido pelo candidato; mas, mais do que isso, as questões também exigirão esse conhecimento.

O ideal, na prova, é obter ao menos 3,50 pontos com a peça prática. Esse é o mínimo para quem quer fazer uma boa prova e ter esperanças de aprovação.

Devo lembrar que o critério de arredondamento acabou há muito e se um candidato tirar 5,95 em sua prova será reprovado.

A peça prática é fundamental, mas responder bem as questões é muito importante.

Retorno mais uma vez à ideia dos cursos preparatórios – É muito importante fazer um, pois não só é ensinado a prática processual como também os professores orientam os candidatos no que é mais importante no respectivo Direito Material.

Quando passei no Exame, não fiz curso para a 1ª fase, mas corri para fazer o curso de 2ª. Curiosamente, na época, o meu professor foi o Dr. Rogério Neiva. Só mais tarde ficamos amigos. E ter feito o curso foi fundamental na hora da prova. Na minha prova caiu um recurso de revista, e este recurso foi exaustivamente treinado pelo prof. Rogério. Fez toda a diferença na hora!

Ao responder as questões, caso você analise os padrões de resposta do Exame Passado, verá que é preciso discorrer  sobre o maior número possível de informações em relação ao que se pediu no enunciado.

Observem que aqui se trata de usar não só da abordagem dos conceitos jurídicos mas também de apontar exaustivamente os dispositivos legais específicos ao caso, além das Súmulas ou OJ’s (no caso de Direito do Trabalho) se existentes.

Isso era o Cespe e também é a FGV.

Daí a importância de dominar bem conceitos e aplicação da norma ao caso hipotético.

Assim como também é muito, mas muito importante dominar o índice alfabético-remissivo do Vade Mecum ou Código de Lei que será levado no dia da prova.

Pode ser que algum assunto não seja do domínio do candidato, mas se este souber pesquisar o índice certamente terá uma alta probabilidade de encontrar a resposta correta.

Dominar o índice alfabético-remissivo é IMPRESCINDÍVEL.

5 – Treinar a gestão do tempo

Nos Exames 2010.2, 2010.3 e VII Unificado (prova trabalhista) a gestão do tempo foi a pedra angular da prova.

Muitos, mas MUITOS candidatos não conseguiram terminar suas provas porque simplesmente faltou tempo.

Bom, o tempo propriamente não falta. Cinco horas são cinco horas sempre. A diferença estava na extensão das provas, e, a partir daí, a percepção da mais absoluta falta de tempo.

Cinco horas passam a uma velocidade impressionante quando se faz a prova subjetiva. A percepção do fluir temporal é mais acelerada até mesmo comparando com a prova da 1ª fase.

Dentro do processo de preparação vocês precisam também treinar o gerenciamento do tempo, e devem ser isso como uma etapa fundamental.

E como se gerencia o tempo?

Os candidatos precisam otimizar a compreensão dos problemas e simplificar os esquemas ou esqueletos da petição.

É necessário ser eficiente, e só o é quem TREINA MUITO.

Se vocês observarem tudo o que escrevi agora, verão que se trata da criação de um círculo virtuoso: muito estudo conduz a eficiência, velocidade e, principalmente, para a aprovação.

———–

Sempre considerem os aspectos acima na hora de se prepararem.

E lembrem-se: a prova da OAB NÃO é a reprodução do que acontece no mundo real. A prova tem uma dinâmica específica e vocês precisam raciocinar em conformidade com ela. Pode parecer com o mundo real, e algumas vezes parece, mas antes de tudo é uma prova e precisa ser pensada, estudada e resolvida como tal.

Isso é o óbvio!

Chegou a hora de botar o bumbum na cadeira e queimar os neurônios!

- Categoria: Doutrina para a prova

Os códigos e os livros CERTOS para a 2ª fase do XIII Exame de Ordem por preços especiais!!

Sem firulas, sem enrolação e sem meios-termos: os livros e códigos abaixo são os IDEAIS para vocês complementarem os estudos da 2ª fase do Exame de Ordem!

Este livros estão todos em promoção no site da Livraria Armador, em uma parceria com o Blog Exame de Ordem!

5

Conversei com o pessoal da livraria virtual Armador e consegui um DESCONTÃO em vários livros!

DESCONTÃO mesmo!

Vamos conferir?

Vade mecum 

Primeiro vou falar do vade mecum, o código que todo candidato tem de levar para a 2ª fase.

3

O vade mecum da Saraiva foi de R$ 89,00 para R$ 76,99.

O link direito para a página do vade mecum no site da Armador é este daqui:

Vade Mecum Saraiva – Livraria Armador

Este vade mecum está 100% dentro das especificações do edital do XIII Exame de Ordem, que poderá ser usado sem gerar NENHUMA DOR DE CABEÇA  na hora da verdade!!

Direito do Trabalho

Em Direito do Trabalho eu indico os livros elaborados pelos professores do Portal.

Primeiro a melhor CLT para a 2ª fase da OAB:

CLT_10ed.indd

Esta é a última edição da CLT dos professores Renato, Aryanna e Tonassi. Completa e perfeita para a 2ª fase do Exame de Ordem.

CLT – Consolidação das Leis do Trabalho 10ª Edição - Livraria Armador

A CLT saiu de R$ 149.00 para R$ 93.99!

Agora vamos ver o livro específico de Processo do Trabalho para o Exame:

3

Esta obra é perfeita para orientá-los na preparação para a 2ª fase da OAB. Todas as peças processuais foram minuciosamente abordadas para os examinandos identificá-las e estruturá-las com tranquilidade na hora da prova.

O livro de Prática Processual da professora Aryanna, que está em pré-lançamento, também está com um preço especial!

De R$ 80.99 por R$ 64.99.

Prática Processual – Aryanna Manfredini – Livraria Armador

Direito Penal

Agora vamos ver os livros para a 2ª fase de Penal!

Vade Mecum CAPA.indd

Quem vai fazer Penal não vai encontrar nenhum código especifico para Penal MELHOR do que este.

No Vade Mecum de Penal foi incluída toda a legislação necessária àqueles que militam na área criminal, bem como aos estudantes e candidatos dos diversos concursos jurídicos, desde aqueles que se preparam para a segunda fase do Exame de Ordem, como também os candidatos às provas de Direito Penal e Processo Penal dos certames para as demais carreiras jurídicas.

Confiram o Vade Mecum na página da Editora Armador - Vade Mecum Penal

O vade mecum de Penal está saindo de R$ 99.90 por R$ 80.99.

E qual é o melhor livro de Prática Penal? Temos uma novidade!

Prática Penal para a OAB

A Armador está lançando o novo livro dos professores Geovane Moraes e Ana Cristina Mendonça: Prática Penal

É simplesmente o livro de prática desses dois feras na preparação para a OAB.  A obra foi concebida para atender os examinandos que farão a 2ª fase da OAB à perfeição, tudo escrito de forma didática e bem objetiva.

Confiram este livro no site da Armador: Prática Penal

De R$ 79.99 por R$ 64.99.

Direito Administrativo

DIREITO ADMINISTRATIVO PARA OAB

O professor Matheus Carvalho esmerou na hora de preparar este livro, completíssimo para a 2ª fase de Direito Administrativo.

Teoria e prática bem concatenadas, permitindo a compreensão dos temas com a profundidade necessária para preparar os candidatos na luta pela aprovação.

Confiram a obra na Armador: Direito Administrativo – 1ª e 2ª Fase da OAB

O livro está saindo de R$ 89.90 por R$ 55.99.

E tem mais!

Os interessados podem comprar este livro e mais o vade mecum em um combo especial

Combo Direito Administrativo – 1ª e 2ª Fase da OAB + O vade mecum da Saraiva de R$ 179.89 por R$ 125.99.

Direito Constitucional

large_382

Este é o livro de doutrina da professora Flávia Bahia!

O livro dela foi feito com uma linguagem simples e objetiva, perfeito para quem vai fazer o Exame da OAB. Ele inclui capítulos relativos ao poder constituinte supranacional, divisão geográfica dos entes da federação, repartição horizontal e repartição vertical de competências, entre outros, e está completamente atualizado com as mais recentes decisões do Supremo Tribunal Federal, bem como das jurisprudências e súmulas vinculantes.

Confiram a obra: Direito Constitucional – Flávia Bahia

O livro da professora Flávia está por R$ 75.99.

Direito Civil

Código Civil Sistematizado (1)

O professor Cristiano Sobral é o coordenador da 2ª fase de Direito Civil do Portal Exame de Ordem e tem publicado um livro pensado para os examinandos.

O livro aborda os temas mais importantes do Direito Civil, também em consonância com o Exame de Ordem e concursos públicos, com várias referências aos melhores doutrinadores da atualidade, além da jurisprudência também atualizada. Inclui também inúmeras questões de concursos para auxiliar na fixação do conteúdo.

Confiram o livro na Armador: Direito Civil Sistematizado – Cristiano Sobral

O livro do professor Cristiano está saindo por R$ 81.90.

- Categoria: Como fazer a prova

As regras de treinamento para a 2ª fase do XIII Exame de Ordem

Todo mundo começando a estudar forte para a 2ª fase do XIII Exame de Ordem. E treinar de forma adequada, obviamente, é uma necessidade.

O caminho para a aprovação de vocês já está pavimentado: basta segui-lo direitinho!

Segue então um listinha com as regras de treinamento para a 2ª fase:

tumblr_inline_mn9x08TBeU1qz4rgp

Coisas básicas, elementares, para o aproveitamento com qualidade dos estudos.

E o que seria aproveitar os estudos com qualidade? Simples: estudando muito e estudando com método. Dizer para estudar muito é clichê; com método, nem tanto.

Como fazer então?

Em primeiro lugar escolham um curso preparatório bom. Existem vários bons cursos no mercado e vocês são livres para escolher o que julgarem mais adequado. O melhor filtro é buscar referências com amigos que acabaram de ser aprovados, ou fazer pesquisas nas redes sociais.

Eu indico, obviamente, os cursos do Portal. Sugiro a leitura das entrevistas que fizemos com os nossos professores:

As 5 razões para você se preparar para a 2ª fase da OAB no Portal Exame de Ordem

Escolhendo ou não o Portal, saibam que é fundamental sim fazer um curso para a 2ª fase. A prova tem muitas especificidades e em um curso de qualidade vocês vão encontrar o instrumental teórico adequado para enfrentar a prova com todas as suas características.

Esse é um ponto.

O outro está no treino, na forma de praticar as peças e o raciocínio para a prova subjetiva. Agora é hora de gastar a caneta.

Treinar de forma errada pode cobrar um altíssimo tributo do candidato. E por quê?

Porque o treinamento, antes de tudo, tem de simular as condições reais na hora da prova, e tudo aquilo que for estranho ao este ambiente em específico deverá ser afastado pelo candidato EXATAMENTE para evitar uma assimilação equivocada de técnicas ou hábitos.

Mas quais são as regras de treinamento, e qual a importância de cada uma? Vamos conferir agora!

Regra 1 – A redação é sempre manual

Como deve ser a redação das peças práticas? Em um computador? Digitando?

De forma alguma!!!!

Por incrível que pareça existem candidatos que treinam suas peças em um computador. Isso não existe, e não existe sob NENHUM pretexto!

Primeiro porque escrever um parágrafo, por exemplo, usando um teclado, exige muito menos tempo comparando com o ato de escrever manualmente o mesmo texto. Aliás, a diferença do tempo usado é bastante significativa. Usar um teclado para treinar vai gerar uma grave distorção da percepção do tempo e mesmo da fluidez do raciocínio.

E o tempo, meus amigos, é um elemento CHAVE durante a prova. Se o candidato treina no computador e, na hora da prova vai manuscrever, simplesmente vai perder o timing e vai quebrar a cara.

Não vai conseguir administrar o tempo e vai, inevitavelmente, reprovar! E isso não é um terrorzinho barato não: vai reprovar mesmo!

Treinamento para a 2ª fase do Exame de Ordem é MANUAL, usando a caneta e o papel!

Ponto, sem discussões!

Depois temos de considerar que nós, de um modo geral, estamos meio desacostumados a usar o papel e a caneta. Todos nós usamos o computador e perdemos um pouco a prática de redigir manualmente um texto. Normal…

Neste período de preparação o candidato se prepara para a maratona de 5 horas de prova e adapta sua redação ao melhor padrão possível em razão da prova.

Ou seja, o candidato precisa não só se condicionar a escrever muito como fazê-lo com desenvoltura, e isso só pode ser obtido com muito treino.

Regra 2 – Usem sempre a folha da prova

Vamos dar uma olhadinha na imagem abaixo:

013

Ignorem o texto. Ele é irrelevante neste momento. O importante mesmo é observar o enquadramento do espaço.

É esse espaço, essa estruturação de linhas com os quais vocês trabalharão na hora da prova. Estão treinando suas redações em um caderno, folhas em branco ou sei-lá onde mais?

Tá errado!

Vocês têm de treinar nas folhas da FGV, no espaço da FGV e com o número de folhas da FGV.

A estrutura é esta – Folhas de prova do Exame de Ordem

Acostumem-se exatamente com a estrutura de folha e linhas da FGV. No dia da prova o espaço será este. Nada melhor então do que se acostumar com esse tipo de folha. Gastem a tinta da impressora sem dó e treinem.

Regra 3 – Usem incessantemente o vade mecum

Já compraram o vade mecum? Sabem que terão de turbiná-lo? Sabem da necessidade de dominar o índice remissivo? Compreendem a necessidade de achar qualquer informação no código?

A hora de iniciar esse preparo é agora, e tudo dentro da lógica da FGV. Durante a prova o manuseio do código tem de ser natural, fluído, fácil, com todas as remissões bem memorizadas e o uso do índice devidamente treinado.

Sugestão de um vade mecum novo? O novíssimo Vade Mecum da Editora Saraiva para a 2ª fase da OAB com um SUPER desconto!

Agora vamos tratar dos pequenos detalhes, de dúvidas comuns entre os candidatos, simples de serem explicadas:

1. Tem que ser letra de forma?

Pode tanto ser letra de forma como cursiva. O candidato escolhe. A FGV não pune um tipo de letra em específico.

2. Posso usar letra de forma em algumas partes da peça e letra cursiva em outras? Por exemplo: no endereçamento uso letra de forma  e nos fatos letra cursiva.

Não me lembro de ter visto dois tipos de letra em uma única petição. Em princípio, não vejo nenhum problema, mas não posso afirmar com certeza de que isso não gerará problemas para o candidato. Na dúvida, sugiro que se use apenas um tipo de letra.

3. Se errar a palavra, como proceder?

Única e exclusivamente um risco sobre a parte errada. Pode ser só uma palavra como também pode ser uma folha inteira.

E isso é importante! Não são raros os casos de candidatos preocupados com a forma de se apagar um trecho escrito de forma errada, e isso já rendeu sim problemas na correção. A regra do edital indica apenas um simples risco sobre a parte do texto errada, e o candidato tem de seguir o padrão.

4. Tem que pular linhas do endereçamento para qualificação? Se sim, quantas?

Já vi peças nota 5 que não pularam linha nenhuma, e peças nota 5 que pularam algumas linhas. Ou seja: depende do estilo do candidato.

Não há uma regra de linhas, o examinando tem de usar o bom senso neste momento e, acima de tudo, ter a noção se sobrará espaço para concluir sua peça.

No mais, depende apenas de uma escolha.

5. Tem espaçamento antes do parágrafo?

Não é obrigado, mas é recomendável.

E o é por conta de uma questão de clareza: o examinado deve desejar, acima de tudo, que o corretor de sua prova entenda tudo de forma clara. Isso é importante. Se for possível facilitar a visualização do início do parágrafo, melhor.

6. Posso colocar depois do endereçamento o nome da peça?

O ideal em uma peça é colocar o nome das partes com os dados de identificação (sem inventar informações!) e depois, indicando o correto e completo fundamento legal, o nome da peça.

Essa é uma parte FUNDAMENTAL na prova!

Entenderam? Fundamental!!!

Qualifiquem as partes e depois digam o nome da peça, por extenso, seguido pelo seu fundamento legal. Se não fizerem isso VÃO TOMAR UM ZERO!

É um dos momentos mais cruciais da prova. Os corretores da prova não vão catar essa informação no corpo da petição. Se não encontrarem ali, no início, o nome da peça e seu fundamento, o candidato terá um sério problema. Errem tudo, menos isso.

Há uma regra severa no edital e os candidatos precisam declinar o nome da peça:

02

O nome e o CORRETO e COMPLETO fundamento legal, que justificaria a escolha do nome.

Façam isso do jeitinho que vocês vão aprender em seus cursos, do jeito mais formal possível, sem inventar.

Isso é importante!

7. Nas citações dos artigos qual o espaçamento?

Não é necessário, em princípio, fazer um espaçamento diferenciado para a transcrição de artigos. Fica como sugestão o espaçamento que seja o dobro do recuo de texto usado para iniciar um parágrafo.

E aqui faço uma observação também importante.

Eu não acho uma boa ideia transcrever literalmente o teor de um dispositivo legal ou Súmula. Na análise do espelho, o corretor vai procurar se o candidato indicou o dispositivo correto, e não se o transcreveu. Como técnica de redação, é melhor explicar (o fundamento jurídico) a razão da aplicação de terminada súmula ou dispositivo legal, declinando-o na peça. Sua redação, na íntegra, é desnecessária como também te tomará tempo e ocupará um espaço na peça.

Já analisei centenas e centenas de provas e dou essa dica com a maior tranquilidade.

O que vale é o raciocínio lógico, fazendo o entrelaçamento entre o fato e o direito e a indicação correta das leis, artigos ou súmulas correlatas.

- Categoria: Redes sociais

Grupos de estudos para a 2ª fase do XIII Exame de Ordem

foto (5)

Quer colher a opinião de outros examinandos sobre a 2ª fase?

Tem interesse em ficar por dentro de tudo que está acontecendo no Exame?

Quer dicas de preparação dos professores do Portal e de outros candidatos?

Precisa desabafar?

Eu tenho os lugares certos para você!!!

Notícias do Portal e do Blog Exame de Ordem:

Facebook – Portal Exame de Ordem

Facebook – Maurício Gieseler

Grupo de estudos para a 1ª fase:

Grupos de Estudos Para a OAB

Grupos de estudos para a 2ª fase:

Tributário

OAB 2ª Fase 100% Tributário – com Prof.Josiane Minardi

Trabalho

Rumo à OAB em Trabalho – Prof. Aryanna Manfredini, Renato Saraiva e Rafael Tonassi

Civil

Grupo de Estudos para a 2ª fase de Direito Civil

Empresarial

Grupos de Estudos – 2ª fase de Direito Empresarial

Constitucional

Grupo de Alunos da Professora Flávia Bahia

Administrativo

OAB ADM Segunda Fase – Matheus Carvalho

Penal

Grupo de Processo Penal

Páginas dos professores no facebook:

Trabalho:

Aryanna Manfredini

Rafael Tonassi

Renato Saraiva

Penal

Geovane Moraes

Ana Cristina

Administrativo

Matheus Carvalho

Constitucional

Flávia Bahia

Tributário

Josiane Minardi

Civil

Cristiano Sobral

Roberto Figueiredo

Luciano Figueiredo

Sabrina Dourado

André Mota

Empresarial

Francisco Penante

O Exame de Ordem acontece aqui! E no face também!

- Categoria: Cursos do Portal

Prorrogado o valor promocional do Curso Online completo para a 1ª fase do XIV Exame de Ordem.

524539_672237949504053_1900175869_n

O Portal Exame de Ordem o valor promocional do curso preparatório COMPLETO para o XIV Exame de Ordem até o dia 30/04.

Curso Preparatório Completo para o XIV Exame de Ordem

Faltam ainda 3 meses e 3 semanas para a prova objetiva do XIV Exame de Ordem. Este lapso temporal é o ideal para quem deseja começar a se preparar com antecedência, visando esgotar todo o conteúdo da futura prova objetiva. E é por isso que estamos lançando agora este curso: pois ele é abrangente, completo, perfeito para quem quer passar na 1ª fase com SEGURANÇA!

O ideal sempre é iniciar os estudos para a prova da OAB com toda a antecedência possível, pois assim não só é possível esgotar todo o conteúdo programático como também destinar mais tempo para o processo de REVISÃO e resolução de EXERCÍCIOS.

Sim! Porque estudar não é um processo estanque. É preciso acompanhar a aula, resolver exercícios e revisar o conteúdo, e quanto antes o processo de estudo for iniciado, melhor para o estudo em si e melhor para o candidato, que produzirá para si mesmo um estudo mais consistente.

Este curso é ministrado por MESTRES na preparação para o Exame de Ordem: Renato Saraiva, Geovane Moraes, Cristiano Sobral, Aryana Manfredini, Matheus Carvalho, Flávia Bahia, Ana Cristina, André Mota, Francisco Penante, Sabrina Dourado, Paulo Machado, Frederico Amado, Cristiane Dupret, Bernardo Montalvão e Alexandre Bezerra.

A carga horária do curso é de 103 encontros, com 2 horas cada encontro, totalizando, aproximadamente, 206 horas/aulas

Valor Promocional até o dia 30/04/2014: R$ 750,54 (setecentos e cinquenta reais e cinquenta e quatro centavos)

DETALHE: As aulas nunca são repetidas! Aulas SEMPRE INÉDITAS e atualizadas para cada edição do Exame de Ordem.

E devemos ressaltar as seguintes vantagens:

1 – As aulas podem ser vistas desde o começo. O aluno não perde nada do conteúdo ministrado independentemente do momento da matrícula;

2 – Cada aula pode ser assistida até duas vezes;

3 – A aula pode ser pausada ou o aluno pode voltar para determinado trecho dela para rever uma explicação, maximizando a absorção do conteúdo;

4 – O aluno faz seu horário de estudo e implementa a autogestão do aprendizado.

As vantagens acima representam um plus estratégico na preparação que, somadas com a força do conteúdo ministrado pelos professores do Portal, oferece ao aluno um excelente preparação.

Cliquem no link e inscrevam-se no Curso Preparatório Completo para o XIV Exame de Ordem.

O Exame de Ordem acontece aqui, no Portal Exame de Ordem!

- Categoria: Datas do Exame de Ordem

Todas as datas do Exame de Ordem em 2014: novas edições, recursos e inscrição na repescagem

A prova da OAB está aí! No último final de semana tivemos mais uma 1ª fase e a ampulheta do tempo não para!

Vamos ver as datas do Exame daqui até o final do ano. Iniciemos pelos Exames que estão por acontecer:

1a

De hoje até o dia da próxima prova objetiva temos 3 meses e 3 semanas. Um bom tempo para iniciar os estudos.

Agora vamos conferir o calendário regular para o XIII Exame de Ordem. Destaque no quadro abaixo para o prazo recursal da 1ªfase:

1b

Confiram estes textos:

XIII Exame de Ordem: recurso para a questão do trespasse – Empresarial

XIII Exame de Ordem: recurso para a questão do agravo retido – Processo Civil

Nas últimas 3 provas objetivas da OAB apenas 1 questão foi anulada! O que esperar agora?

Por fim, vamos olhar o calendário para os candidatos da repescagem. As inscrições abriram ontem!

Confiram agora o cronograma geral de eventos da repescagem:

2

Confiram os detalhes para se inscrever aqui:

Abertas as inscrições para a repescagem no XIII Exame de Ordem

Inscrições para a repescagem

Organizem-se!

- Categoria: Inscrição

Candidatos da repescagem não conseguem fazer o pedido de isenção

Uma candidata me relatou que tentou fazer o pedido de isenção de taxa na repescagem mas o sistema não fraqueia tal possibilidade. Eu mesmo tentei fazer a inscrição por ela e, efetivamente, essa opção está desabilitada, tal como mostra a imagem abaixo:

3

Mesmo com todos os dados preenchidos o sistema informa que “a data atual está fora do período para solicitação da isenção da taxa de inscrição.

Logo, sugiro aos candidatos interessados em pedir a isenção que aguardem até a FGV normalizar o sistema.

- Categoria: Inscrição

Abertas as inscrições para a repescagem no XIII Exame de Ordem

3

A FGV acabou de abrir as inscrições para os candidatos que irão fazer a repescagem no XIII Exame de Ordem, cuja prova será no dia 1º de junho.

Inscrições para a repescagem

Quem precisa (ou pode) se inscrever? Vamos ver as regras para a repescagem:

1 – Período e valor de inscrição

1.1.1.1. O examinando que desejar reaproveitar o resultado de aprovação na 1ª fase do XII Exame deverá, exclusivamente via Internet, nos endereços eletrônicos http://oab.fgv.brhttp://www.oab.org.br ou nos endereços eletrônicos das Seccionais da OAB, no período entre 14h do dia 15 de abril de 2014 e 23h59min do dia 22 de abril de 2014, observado o horário oficial de Brasília/DF, enviar formulário de solicitação devidamente preenchido. Submetido o formulário, o examinando deverá imprimir e efetuar o pagamento do boleto bancário correspondente, no valor de R$ 100,00 (cem reais).

2 – Quem ainda está na faculdade

Quem está na faculdade ainda e for se valer da repescagem terá até o 2º semestre de 2014 para concluir o curso:

1.1.1.4. Aqueles que se utilizarem do reaproveitamento que sejam estudantes dos últimos dois semestres do curso (ainda não concluintes do curso de graduação em Direito) e que forem aprovados no XIII Exame de Ordem Unificado poderão retirar seus certificados de aprovação caso comprovem que têm previsão de conclusão do curso até término do segundo semestre de 2014.

3 – Quem PERDEU a prova subjetiva XII Exame NÃO poderá fazer a repescagem

Péssima notícia para quem perdeu a prova subjetiva do XII Exame. A OAB não vai aceitar a inscrição destes candidatos. Ou seja, fica a regra que para ter direito à repescagem é preciso ter reprovado na 2ª fase. A ausência gera a eliminação:

1.1.6. O reaproveitamento descrito no item 1.1.1 será vedado aos examinandos ausentes ou eliminados na 2ª fase do XII Exame de Ordem.

Confiram agora o cronograma geral de eventos da repescagem:

2

Essa será a primeira turma a se valer da repescagem. Independentemente disto, a prova subjetiva será a mesma para todos, tanto o pessoal da repescagem como para os aprovados na 1ª fase do XIII.

Vai fazer a repescagem? Confiram a nossa aula inaugural gratuita! Façam o cadastro primeiro, é fácil e rápido:

Cadastro CERS

Depois basta se cadastrar na 1ª aula gratuita:

2ª fase em todas as disciplinas - 1ª aula grátis!

Além disso, o aluno pode fazer seu próprio horário de estudo e ver cada aula até 2 vezes no momento que achar mais adequado.

As 5 razões para você se preparar para a 2ª fase da OAB no Portal Exame de Ordem

E toda as nossas aulas são ONLINE:

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito do Trabalho, com Renato Saraiva, Aryanna Manfredini e Rafael Tonassi

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Penal, com Geovane Moraes e Ana Cristina Mendonça

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Administrativo, com Matheus Carvalho

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Civil, com a equipe coordenada por Cristiano Sobral

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Constitucional, com Flávia Bahia

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Tributário, com Josiane Minardi

Curso Preparatório para a 2ª fase de Direito Empresarial, com Francisco Penante

O Exame de Ordem acontece aqui!